‘CRASMA precisa de melhorias para manter qualidade’


‘CRASMA precisa de melhorias para manter qualidade’

Ambulatório atende cerca de três mil usuários atualmente

Há 19 anos em funcionamento, o Centro de Referência Ambulatorial de Saúde Mental de Araraquara (Crasma) “Dr. Ubirajara Caldas” já atendeu cerca de 12 mil pacientes. O vereador Rafael de Angeli (PSDB) foi até unidade, localizada no Quitandinha, na última segunda-feira (28), para verificar as reivindicações atuais do serviço.

Reunido com os funcionários, o parlamentar constatou que a principal demanda é em relação aos recursos humanos. “Hoje temos dois psiquiatras, mas já tivemos sete. Contamos com quatro psicólogos e, antigamente, tínhamos cinco. São apenas dois terapeutas ocupacionais, duas enfermeiras e uma técnica de enfermagem. Nossa fila de espera é de 300 pessoas. Precisamos de mais pessoal”, afirmou uma servidora.

Outra questão apontada é a necessidade de um plano de carreira, pois a remuneração não é atrativa, segundo os funcionários. “Já tivemos concursos sem inscritos e também temos muita rotatividade. O profissional não permanece na unidade”, destacou um psicólogo.

Falta de material de escritório e de artesanato para atividades de terapia ocupacional também atrapalha a qualidade do serviço. “A mesa da minha sala tem um vidro maior que o outro. Fica uma ponta saliente. Há anos peço uma solução. Recebi uma sem acessibilidade para cadeirantes. Então, o problema continua”, relatou uma terapeuta.

Além disso, muitas lâmpadas estão queimadas e nenhum ventilador da unidade funciona. “Os servidores trazem ventiladores de suas casas para poderem trabalhar. Isso não pode continuar. Nossa cidade é muito quente. Estamos literalmente na ‘Morada do Sol’”, frisou o vereador.

Horta
Devido a um projeto da própria equipe, o centro recebeu R$ 5 mil, via Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), destinados à construção de uma área para o cultivo de uma horta, a qual será utilizada para atividades terapêuticas. “A base com os postes de eucalipto já está pronta. Só precisamos da cobertura para começarmos a utilização do espaço”, concluiu um psicólogo.

Angeli encaminhará todas as reivindicações à Prefeitura. “Cobrarei providências do Executivo. A saúde mental merece muita atenção, pois salva vidas e melhora a qualidade de muitas delas.”

Crasma
O centro atende com horário marcado, por encaminhamento da atenção básica, e em diversas modalidades, como psicologia, psiquiatria e terapia ocupacional. Os casos recebidos são de pacientes estáveis, ou seja, fora de crise. Para urgência e emergência, a pessoa deve procurar o Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II), que fica na Avenida 7 de Setembro, número 432, ou as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).