Começa o Festival Internacional de Dança de Araraquara


Começa o Festival Internacional de Dança de Araraquara

Festival de DancaFestival é a grande atração desta semana em nossa cidade

A Educação tem espaço garantido dentro da programação do 18º Festival Internacional de Dança de Araraquara. Nesta semana o Festival inicia as atividades do Eixo Aracoara – aquele que apresenta ações formativas para docentes.

De 17 a 23 de setembro, das 9 às 12 horas, serão realizadas cinco atividades específicas para docentes (gestores da cultura, artistas docentes, docentes da área artística): “Dança da Poética de Ossain”, “Acessibilidade e Políticas Públicas”, “Dança, gênero e diversidade” e “Cultura Popular Brasil”.

Os mini-cursos serão realizados no CEAR e irão promover um grande intercâmbio entre os docentes de Araraquara e os da UFBA – Universidade Federal da Bahia, já que os ministrantes são todos professores desta universidade.

Gilsamara Moura, curadora do Festival, explica que os mini-cursos são ações formativas que visam atualizar, qualificar e provocar reflexões acerca de temas caros à Educação e Cultura, como por exemplo: a cultura afro-brasileira, políticas de acessibilidade e inclusão, currículo e cultura popular, gênero e políticas de convivência. “Com a abrangência de temas, as ações formativas vão abrir espaço para reflexão num diálogo horizontal e de respeito à diferença”.

Os mini-cursos também são abertos ao público, com prioridade aos docentes, artistas-docentes, arte-educadores e gestores públicos. “Pretendemos atingir mais pessoas do que em 2017, que contou com 50 pessoas. As vagas são ilimitadas e os encontros acontecem no CEAR todas as manhãs, de 17 a 23 de setembro, às 9 horas”, aponta a curadora.

Todos os módulos dos mini-cursos podem ser feitos separadamente ou integralmente, e todos terão certificados emitidos pela Universidade Federal da Bahia.

A programação do Festival Internacional de Dança de Araraquara é gratuita e pode ser acompanhada nas “Notícias” do site da Prefeitura de Araraquara, assim como na página do evento criada no Facebook. Nestes espaços é possível ter acesso às informações de inscrição nas atividades do festival.

Dança da Poética de Ossain - Nesta segunda-feira, 17 de setembro, das 9h às 12h será realizado o mini-curso “Dança da Poética de Ossain”, com Marilza Oliveira. A atividade será realizada no CEAR, com continuidade nos dias 18. Marilza também realiza na quinta-feira, dia 20, a oficina “Dança da Poética de Ossain”, das 16 as 18 horas, na EMD para artistas, estudantes e docentes interessados na cultura afro. Depois, no sábado, dia 22, a oficina também será ministrada em Américo Brasiliense, às 9 horas, na EMEF Dr. João Baptista de Almeida, no Centro.

Acessibilidade e Políticas Públicas - “Acessibilidade e Políticas Públicas” é o tema que guia o mini-curso proposto por Edu Ó, nos dias 19 e 20. Edu Ó realiza também a oficina “Acessibilidade e Políticas Públicas” na EMD, no dia 21, às 16 horas, para  artistas, estudantes e docentes interessados em dança inclusiva. Ainda, Edu Ò e Lucas Valentim apresentam o espetáculo “Odete, traga seus mortos” na quinta, dia 20, às 20h30, no Teatro Wallace Leal.

Dança, gênero e diversidade - Na sexta e sábado, dias 21 e 22, Lulu Pugliese e Lucas Valentim ministram o mini-curso “Dança, gênero e diversidade”. Lulu Pugliese e Lucas Valentim também serão responsáveis pela mini-residência artística que será realizada junto aos alunos do Núcleo De Dança da EMD, de 18 a 20, com apresentação do trabalho no dia 21, na Sessão Maldita (22 horas, na quadra da Casa da Cultura). Lucas Valentim apresenta a ocupação “Biju” na sexta, dia 21, às 17 horas, na Via Expressa, em baixo do viaduto do Terminal de Integração.

Cultura Popular Brasil - O último mini-curso, “Cultura Popular Brasil” chega com Denny Neves, um dos participantes da edição de 2017 que mais cativou o público. O baiano realiza o mini-curso em horário diferente: das 10 às 14 horas, no CEAR. Denny Neves também é atração na noite do sábado, dia 22, no Sesc Araraquara, quando apresenta junto com Gilsamara Moura, “Braseiros e Canaviais”, às 20 horas.