O desastroso ‘jetinho brasileiro’ em quase todas as coisas


O desastroso ‘jetinho brasileiro’ em quase todas as coisas

BLOG DO BOLA

Por Adilson João Tellaroli

Adilson

Quando o desastre de Mariana aconteceu, as mais diversas autoridades prometeram providencias enérgicas. A maior parte delas ficou paralisada no Congresso Nacional. Veio a tragédia de Brumadinho, muito pior. E pouco se fez até agora para coibir nova catástrofe. Recentemente, vimos com as chuvas no Rio de Janeiro, a repetição angustiante da falta de prevenção e a perda de vidas preciosas.

Você deve estar pensando que eu mudei o foco e agora estou escrevendo sobre política! Nada disso. Faço esse relato para servir de alerta às nossas autoridades e toda a cidade sobre o que se chama de “tragédia anunciada”.

Este Portal publicou várias reportagens sobre o problema estrutural do Gigantão, a mais recente delas, informando que um laudo emitido em 2004, já informava à Prefeitura Municipal, os problemas e riscos daquele ginásio.  As reformas realizadas em 2012, teriam sanado com os problemas existentes e por dentro, houve sem dúvida, um toque bonito de modernidade.

Agora o Ministério Público volta à carga, pede novas providências e até a interdição do Gigantão, o que causou surpresa, segundo as autoridades municipais. O que se percebe, é que mais uma vez o lado politico fala mais alto. Exageros ou não (o que só um novo laudo irá dizer), estamos diante daquele velho ”jeitinho brasileiro”. Ninguém quer assumir a responsabilidade por possíveis erros ou omissões e fica essa troca de farpas que não leva a nada.

A população não quer saber quem errou, se errou. Para ela e principalmente para atletas e a torcida que frequenta o ginásio, importam as providências que devem ser tomadas urgentemente. Importa a segurança para quem trabalha no local. Importa saber de maneira definitiva, se podemos ou não utilizar um lugar que sempre foi orgulho da cidade e agora nos causa pânico.

Por favor, deixem as justificativas de lado e atuem de maneira prática sobre o assunto, antes que ele vire mais uma tragédia nacional, por culpa do nosso jeitinho!