Início Agronegócio

Dorival Bergamo receberá homenagem no Dia do Agricultor

350
Dorival Bergamo, da Canasol

Quando o vapor Las Palmas vindo de Gênova (Itália) chegou ao Porto de Santos em agosto de 1892, com o casal Luigia-Natale Bergamo a bordo, também estavam os filhos Gerólamo, Maria, Donato, Secondiano e Antonio. A esperança saltava nos olhos de todos e eles sentiam que o mundo poderia lhes sorrir, bem melhor do que na Itália que ficara para trás. Secondiano, um dos filhos, começa a escrever uma bela história de vida voltada ao campo.

De lá a família veio para um vilarejo chamado “Tatú”, mais tarde Tatuí, próspera cidade na confluência das bacias dos rios Sorocaba e Tatuuvú (hoje Bairro do Barreiro). Um ano depois, os Bergamo’s se encontravam em uma fazenda no município de Rincão, trabalhando na cultura do café. O tempo foi passando e com trabalho e muita luta, Natale e os filhos foram adquirindo terras. Com sua morte veio a divisão: as filhas receberam sua parte em dinheiro e aos filhos foram dadas as terras.

Secondiano, um dos filhos, a esta altura já tinha família estruturada e a Dorival Bergamo, o pai  arrendou  20 alqueires por 6 anos. Neste meio tempo com o falecimento do pai, Dorival esperou o final do contrato para nova divisão, agora correspondente aos 20 alqueires do pai Secondiano. No rateio, Dorival hoje possui 12 alqueires, onde está a sede da Fazenda Americana, sendo 9 alqueires de cana, mais o pasto e a plantação de mil pés de café.

Atualmente com 83 anos de idade e o único filho vivo, ele relembra com saudade o legado deixado pelo pai que teve uma vida extremamente difícil, porém, com ativa participação no desenvolvimento da agricultura na região. Um dos fatos marcantes, segundo ele, foi sua participação na fundação da Canasol, em 1952. A partir daí o vínculo da Família Bergamo foi crescendo e justamente Dorival, que possuía um relacionamento mais amplo com o campo, passou a substituir o patriarca.

Por 22 anos, lembra Dorival, me mantive como um dos responsáveis ao lado de Edgard Iost, pelo Ambulatório da Canasol, onde também fui diretor em diversos cargos. Da mesma forma essa convivência ocorreu com o Sindicato Rural, sempre de forma participativa. Dorival Bergamo é o que dá sequência ao espírito pioneiro do avô Natale e do pai Secondiano, além dos quatro tios que desembarcaram em 1892 no Porto de Santos. Ele é casado com Ignez Castellari Bergamo, há 63 anos. O casal não tem filhos, porém, uma afetividade familiar que mostra a importância do trabalho em três gerações. Por ser um brilhante produtor de cana, Dorival Bergamo receberá esta homenagem no Dia do Agricultor.