Início Agronegócio

Vendas de açúcar no exterior crescem 65,60% de abril a 1º junho

3,85 milhões de toneladas de açúcar foram destinadas à exportação no período

13
No acumulado desde o início de abril até 1º de junho deste ano, a quantidade comercializada domesticamente somou 1,40 milhão de toneladas

A produção de açúcar registrou crescimento de 36,19% na segunda metade de maio, totalizando 2,55 milhões de toneladas, contra 1,87 milhão de toneladas produzidas no último ano. No acumulado desde o início da safra 2020/2021 até  1º de junho, o aumento na produção da commodity alcançou 65,10%, somando 8,02 milhões de toneladas.

“As condições de preço, a baixa demanda por etanol, a maior procura pelo açúcar brasileiro e a melhor qualidade da matéria-prima colhida permitiram uma intensificação na produção de açúcar, que atingiu 55,38 kg de açúcar por tonelada de cana nesta safra contra um índice de 37,66kg no mesmo período da safra passada”, lembrou o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues.

No acumulado desde o início de abril até 1º de junho deste ano, a quantidade comercializada domesticamente somou 1,40 milhão de toneladas, com aumento de 4,38% sobre o montante apurado em igual período do último ciclo. O crescimento nas vendas de açúcar direcionado ao mercado externo atingiu expressivos 65,60%, com 3,85 milhões de toneladas destinadas à exportação no período.

Nesse cenário, a proporção de cana direcionada à produção do adoçante alcançou 45,92% desde o início da safra até 1º de junho, contra apenas 33,31% registrados na mesma data de 2019.

A produção de etanol, por sua vez, totalizou 1,81 bilhão de litros na segunda quinzena de maio, contra 2,17 bilhões fabricados em igual período do ciclo 2019/2020. Do total produzido neste ciclo agrícola, o hidratado atingiu 1,26 bilhão de litros e o anidro somou 550,94 milhões de litros.

O volume de produção acumulado desde o início da safra 2020/2021 até 1º de junho totalizou 6,20 bilhões de litros, praticamente o mesmo valor registrado em igual período do ciclo anterior (6,22 bilhões de litros).

“Apesar da maior produção de açúcar, o avanço na moagem e a melhor qualidade da cana-de-açúcar colhida permitiram a manutenção da mesma produção de etanol”, esclarece Rodrigues.

Do total produzido na segunda quinzena de maio deste ano, o etanol fabricado a partir de milho foi responsável por 57,37 milhões de litros. No acumulado desde o início da safra até 1º de junho, foram fabricados 350,76 milhões de litros de etanol, registrando crescimento de 72,64% em relação ao volume produzido em igual período do ano passado.