Início Cidade

Araraquara acorda sob fumaça de queimadas

Em várias regiões da cidade o cheiro e fumaça invadem as casas, podendo causar ainda mais problemas respiratórios

329
Imagem vista do Jardim Universal, na manhã desta terça-feira (31). Foto: RCIA

Ao que constam as queimadas chegaram mais cedo em Araraquara, em várias regiões da cidade as reclamações são as mesmas, fumaça e cheiro de queimado.

No ultimo sábado (28) a Área de Triagem e Transbordo na Estação de Tratamento de Resíduos da Construção Civil (ETRCC), localizada no Jardim Pinheiros, foi incendiada em três pontos diferentes, fazendo com que a fumaça se alastrasse pela cidade. No domingo (30), a autarquia e prefeitura trabalharam para aterrar o material e diminuir a propagação de fumaça.

Nesta segunda-feira (31), durante a noite toda, foi possível perceber o cheiro e a fumaça no ar, fazendo com que muitos munícipes de vários pontos da cidade reclamassem principalmente na região da Vila Xavier, Vila Sedenho, Alameda Paulista e até mesmo no Jardim Universal, onde é possível visualizar a fumaça na área central da cidade.

O Daae multa os proprietários de terrenos que forem queimados. A legislação municipal prevê que o proprietário é o responsável pela queimada, porque o flagrante é difícil de ser constatado, mas a lei entende que o proprietário permitiu as condições para que a queimada acontecesse em seu imóvel. Por isso é importante que se mantenha o mato roçado.

Para denunciar queimadas na área urbana de Araraquara, os moradores podem ligar gratuitamente para o número 0800 7701595. Na área rural, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) deve ser procurada.

Em caso de incêndios, o Corpo de Bombeiros deve ser chamado para conter as chamas pelo número 193.

O QUE DIZ O DAAE

O Daae informa que o incêndio ocorrido na Área de Triagem e Transbordo da Estação de Tratamento de Resíduos da Construção Civil (ETRCC), no último sábado (28), as chamas e a propagação foram contidas na mesma noite de sábado e madrugada de domingo, por equipes do Corpo de Bombeiros, com o auxílio de caminhões-pipa do Daae.

As equipes prosseguiram com os trabalhos nestas segunda e terça-feira, com o intuito de conter a emissão de fumaça do incêndio, em tese criminoso e que está sob investigação da Polícia Civil.

Por se tratar de resíduos de vegetação, mesmo não havendo mais fogo e chamas no local, há a permanência da emissão de fumaça pela própria característica do material queimado.

Neste sentido, equipes do Daae trabalham no local, ininterruptamente, para revolver as leiras e ao mesmo tempo abafar com terra o material queimado. A previsão é que os serviços de abafamento sejam concluídos amanhã.

O superintendente do Daae, Donizete Simioni, a diretora de Gestão Ambiental, Katia Matteo, o gerente de Resíduos Especiais, Marcos Scalize e o gerente de Fiscalização e Licenciamento Ambiental, Artur Osório, estiveram hoje (31/03) na ETRCC, junto com representantes do Corpo de Bombeiros, que avaliaram o procedimento adotado pelo Daae como correto.