Início Cidade

Revolta provoca sabotagem em radar móvel

113
Radar foi coberto por um saco de lixo

Um radar que estaria localizado na Padre Anchieta, ao lado da Cutrale, tornou-se do dia pra noite o centro das atenções nas redes sociais. Ocorre que uma ação ousada passou a ser interpretada por parte da população como retaliação ao anúncio de que novos 48 radares móveis serão instalados em pontos estratégicos do município. O ato se resumiu na colocação de um saco de lixo sobre o equipamento colocado no canteiro central da via pública, impedindo a visão dos motoristas.

Nas redes sociais muitos comentários creditam o fato à Prefeitura Municipal, que visaria estabelecer uma fábrica de multas em Araraquara.

Em contato com a Coordenadoria de Mobilidade Urbana o Portal RCIA foi informado que se trata de um ato de vandalismo, onde, um indivíduo passou pelo local e colocou o saco plástico para impedir o funcionamento do radar. O operador do radar retirou o saco logo após o ato e reinstalou o equipamento.

Em 2016, último ano do mandato Barbieri o valor arrecadado em multas de trânsito foi de R$ 4,4 milhões. Em 2017, primeiro ano do governo Edinho deu um salto para R$ 6,6 milhões e no ano passado disparou para R$ 9,6 milhões. Para este ano, o Fundo Municipal de Multas prevê uma arrecadação no entorno de R$ 15 milhões.

Segundo informações já fornecidas por Nilson Carneiro, dos R$ 15 milhões arrecadados, R$ 3,7 mi serão destinados para gestão de multas e R$ 6 mi para manutenção da sinalização e semáforos. O restante ficará dividido entre gastos com equipe dos radares, uniformes dos agentes, veículos e educação para o trânsito.

É importante dizer que 48 novos pontos de radares serão instalados na cidade, e caso esses equipamentos fiquem sozinhos e expostos, sem o olhar do poder público a baixa será grande, visto que motoristas avaliam a medida como fortalecimento de uma suposta fábrica de multas.