Início Cidade

Após noite de terror na UPA, mais de 3 mil pessoas entram em quarentena

Os profissionais que acompanham as estatísticas da pandemia país dizem que estão 'no escuro' e temem aumento de casos e hospitalizações nos primeiros meses de 2022. Isso já vem acontecendo em Araraquara.

968
Por volta das 21h desta segunda a movimentação em frente a UPA era essa

A UPA – Unidade de Pronto Atendimento em Araraquara se sentiu estrangulada nesta segunda-feira (10) com tanta gente para atender. As pessoas que buscaram ajuda junto aos profissionais da saúde se espalharam nas várias divisões do prédio aguardando o momento da chamada.

O movimento, segundo consta atingiu do lado de fora da UPA chegando a praça fronteiriça e com as horas de espera, a agonia tomou proporções maiores; eram mais de duas horas da madrugada e o movimento ainda era intenso.

O resultado anunciado nesta terça-feira, horas depois da noite de terror vivido por centenas de pessoas mostrava o resultado: 863 novos casos positivos de Coronavírus, o equivalente 37,15% de 2.323 amostras analisadas nos serviços públicos e privados de saúde e nos setores econômicos e sociais do município, ou seja, sintomáticos e assintomáticos.

Era hora do socorro médico e a disputa pelo atendimento na madrugada desta terça-feira (11) com o município atingindo a marca do 36.700 casos confirmados de Covid-19 em 20 meses,  período de enfrentamento da pandemia, ou seja 1.850 casos por mês.

Duas e meia da madrugada desta terça-feira o atendimento continuava com número expressivo de pacientes

A grande preocupação neste momento é o número de pessoas em quarentena: 3.350, além do aumento de pacientes internados – 32, com 25 em enfermaria e 7 confirmados que estão na UTI. Todos os números mostram que a contaminação está de volta e agora mais rápida, explicou um profissional da Saúde ao Portal RCIA.

Esse detalhe é visível quando se observa as internações nos serviços hospitalares que disponibilizam leitos para Covid-19 (públicos e privados), pois a cidade conta no momento com uma taxa de ocupação de 56% de leitos de enfermaria e 30% de UTI.

Ainda que a vacinação segue avançando em Araraquara há momentos em que a falta do imunizante atrapalha a continuidade do serviço. A própria Vigilância Epidemiológica informou nesta terça que, por falta de doses da Pfizer, a vacinação com esse imunizante teve que ser interrompida em todos os polos e será retomada nesta quarta-feira (12), no período da tarde, após a chegada de mais doses no município que serão entregues pelo Departamento Regional de Saúde (DRS- Araraquara), órgão do Governo do Estado.