Início Cidade

Idosos, diabéticos, hipertensos e obesos serão os primeiros a tratar covid com plasma sanguíneo

Hemonúcleo de Araraquara procura quem já teve covid para doação de plasma

407
Parceria também envolve o Hemonúcleo da Universidade Estadual de São Paulo e conta com apoio da Agência Transfusional da Unimed

O tratamento para a covid-19 a partir do plasma sanguíneo, que será feito por meio da parceria entre o Instituto Butantan e a Prefeitura de Araraquara, vai priorizar pacientes que atenderem a alguns critérios como ter 60 anos ou mais; possuir alguma comorbidade, como diabetes, pressão alta e obesidade; e apresentar sintomas da Covid-19 até três dias antes do diagnóstico. O Hemonúcleo de Araraquara já está à procura de pessoas que já tiveram a doença para doação de plasma.

A técnica consiste em coletar o material de pessoas que já tiveram a doença e produziram anticorpos para aplicá-lo em pacientes do grupo de risco que estão infectados, induzindo o organismo a produzir defesas contra o coronavírus. 

O tratamento – que já foi utilizado em Manaus (AM) – deve reduzir o número de óbitos do principal grupo de risco no município. A parceria também envolve o Hemonúcleo da Universidade Estadual de São Paulo e conta com apoio da Agência Transfusional da Unimed.

Os interessados podem entrar em contato com o Hemonúcleo de Araraquara pelo 3301-6102 para obter mais informações e agendar a doação.

RIBEIRÃO PRETO

O uso do plasma também está sendo feito em outras cidades do Estado. Em Ribeirão Preto, o  Hemocentro já está fazendo a coleta de plasmas e também busca pessoas que já tenham tido covid-19 para doação.  

De acordo com a entidade, todo o material será usado no tratamento de pacientes que estão internados em estado grave, tanto na região quanto em São Paulo, por meio de transfusões de sangue. O doador precisa ter tido a doença há 15 dias ou no máximo 60 dias.