Início Ferroviária

Retrospectiva Grená 2019: Categorias de base fizeram história na temporada

A RCIARARAQUARA inicia um especial voltado a campanha da Ferroviária durante todo o ano de 2019. Começando com as categorias de base, passamos pela Copinha deste ano, com campanha irretocável do time Sub-15, passando pelo time Sub-17 das Guerreirinhas Grenás, que fizeram história.

53
Isabelle (direita) não segura o choro ao abraçar Pietra para comemorar a emocionante classificação - Crédito: Jonatan Dutra / Ferroviária S/A

A RCIARARAQUARA inicia um especial, intitulado “Retrospectiva Grená”, onde abordará todos os resultados obtidos pela Ferroviária neste ano de 2019. E nada como começar com o futuro de um clube, as categorias de base, tanto a masculina quanto a feminina.

A base já deus caras no começo deste ano com a disputa da tradicional Copa São Paulo de Futebol Júnior, voltado a categoria Sub-20. Com sede em Araraquara, a Fonte Luminosa foi palco de jogos do Grupo 7, recebendo, além da Ferroviária, o São Paulo, Serra-ES e Holanda-AM.

Confirmando o favoritismo, a equipe grená venceu o Serra por 3 a 0 e o Holanda por 6 a 0. No jogo decisivo para decidir a primeira colocação, empate épico contra o São Paulo por 2 a 2, garantindo a primeira colocação do grupo. A partir daí, o nome de Felipe Estrella ganhou destaque de vez e foi o principal destaque da Locomotiva na Copinha.

Mesmo líder do grupo, a equipe teve que sair de Araraquara para enfrentar o Velo Clube, segundo colocado do Grupo 8, em Rio Claro, pela segunda fase. De acordo com a FPF, os quatro grandes do estado de São Paulo não podem sair da sede, caso haja determinação pela própria de entidade na mudança.

Contra o Galo Vermelho, empate por 2 a 2 no tempo normal e vitória por 4 a 2 nas penalidades, garantindo um novo confronto contra o São Paulo pela terceira fase, em Araraquara.

Com a esperança de conseguir a classificação, os comandados de Leonardo Mendes sofreram revés por 3 a 0 e deram adeus à competição. Apesar da eliminação, os bons frutos foram colhidos nesta categoria. O atacante Felipe Estrella, com 18 anos, foi cobiçado por diversas equipes brasileiras, mas o seu destino acabou sendo a Roma-ITA, sendo emprestado por um ano (até junho de 2020).

O atacante Richard, com apenas 17 anos, foi negociado em definitivo com o Corinthians e integra também a equipe Sub-20. Outros nomes de sucesso integraram a equipe profissional, como os zagueiros Gustavo Medina, Gabriel Silva e Gabriel Araújo; o lateral Marquinhos, os volantes Willian e Miqueias, o meia Jhonatan e o atacante Rafael.

No decorrer da temporada, outros jogadores também se destacaram e foram para outras equipes, como o volante Miqueias, emprestado por um ano ao Palmeiras, e o atacante Murilo Coletti, negociado em definitivo com o Atlético-MG.

Entre saídas e promoções para o time principal, foram 16 jogadores. Com o “desmanche”, o resultado no Campeonato Paulista Sub-20 foi brecado na terceira fase da competição, quando a equipe foi eliminada. Porém, na fase anterior, a equipe caiu no grupo do Palmeiras. Jogando em Araraquara, venceu por 2 a 1, o que qualificou a classificação à próxima fase.

Hoje, Felipe Estrella brilha com a camisa da Roma-ITA na categoria Sub-19 – Crédito: Reprodução / Twitter Roma

SUB-17 NÃO DECEPCIONA; SUB-15 FAZ CAMPANHA HISTÓRICA

As outras duas categorias do masculino também foram longe no decorrer do Campeonato Paulista.

Após uma primeira fase brilhante, o time Sub-17 acabou caindo já na segunda fase da competição, mas caiu em grupo muito complicado, que tinha São Paulo (vice-campeão do torneio), Red Bull e Flamengo de Guarulhos, ficando na terceira colocação com quatro pontos ganhos.

Mas, entre as três categorias, foi a do Sub-15 que conseguiu um lugar de destaque estadual. Dentro de suas características, com muito toque de bola e intensidade, passou por adversários difíceis nas três fases e conseguiu chegar às quartas de final, um fato inédito na modalidade.

O principal feito dentro das três categorias aconteceu em 2006, quando o time Sub-20 chegou também na fase mata-mata. Já o Sub-15 não teve uma tarefa fácil e encarou o Santos.

No primeiro jogo, derrota por 2 a 1, no CT Rei Pelé. Já na Fonte Luminosa, chegou a estar perdendo por 2 a 0 e a desvantagem poderia ter ficado ainda maior, mas o goleiro Caetano defendeu cobrança de penalidade, o que mudou todo o panorama.

De um 2 a 0 favorável aos santistas, se transformou em um épico 3 a 2 a favor do time grená, resultado que levaria para a decisão por pênaltis. Porém, nos minutos finais de jogo, o Peixe conseguiu o empate por 3 a 3 e a classificação.

Apesar do revés, se tornou um dos jogos mais emblemáticos da Fonte Luminosa pós-reforma, independente dos times e da categoria. O futebol foi jogado e o fair play prevaleceu dentro dos 70 minutos (lembrando que na categoria é 35 por 35), tanto que no final do jogo, os jogadores de Ferroviária e Santos saudaram todos os presentes no estádio, mostrando a grandeza do que foi o confronto.

Com a mescla entre jogadores do Sub-15 e 17, a Ferroviária disputou várias edições d Copa Internacional LNTS Sub-16, que é organizada pelo Desportivo Brasil e Shandong Luneng-CHN, e foi disputada no mês de junho.

Na Série Prata, a equipe ficou com o vice-campeonato, perdendo na final para o Palmeiras por 2 a 1, em partida única disputada no Pacaembu, em São Paulo.

O ANO DAS GUERREIRINHAS GRENÁS

E como o ano de 2019 foram das mulheres, as categorias de base das Guerreiras Grenás fizeram bonito na temporada e, com muitas disputas de competições, mostrou que o futebol feminino no Brasil vem tomando um novo rumo.

Os frutos começaram a ser colhidos neste ano, com as disputas do Brasileiro Feminino Sub-16 e 18, organizado pela CBF, mais o Paulista Feminino Sub-17 e o Festival Sub-14 de Futebol Feminino, realizados pela Federação Paulista de Futebol.

Destes quatro torneios, a Ferroviária ficou entre os quatro melhores em três competições, ficando apenas na primeira fase do Brasileiro Sub-18.

Já no Paulista Sub-17, as Guerreirinhas fizeram campanha impecável e conseguiram a vaga na semifinal da forma mais emocionante, do “jeito Ferroviária de ser”.

Empatada com o Centro Olímpico em número de pontos, as equipes decidiram a última vaga para o mata-mata da competição na Fonte Luminosa. Por ter uma campanha melhor (saldo de gols), o time paulistano jogava pelo empate e, mesmo assim, saiu na frente.

Sem se abater, a equipe grená chegou ao empate no fim do primeiro tempo. De tanto pressionar durante todo o jogo, o gol da vitória saiu já nos acréscimos, aos 42 (no Sub-17, são dois tempos de 40 minutos), colocando a equipe no mata-mata.

No apito final, foi impossível cada jogadora segurar as lágrimas de uma classificação tão emocionante pelo esforço deixado em campo.

O adversário na semifinal foi o São Paulo, com que já havia cruzado na mesma fase de grupos. Após empatarem por 1 a 1, no estádio do Botânico, o Tricolor acabou vencendo por 2 a 0, em partida realizada no estádio José Liberatti, em Osasco.

Entre os destaques da equipe, estão a goleira Lucilene, a lateral Pietra, as zagueiras Prado e Isabelle, a volante Mayra, as meias Laura e Flávia, e as atacantes Maysa, Paola e Bia, algumas delas já figurando no elenco principal da Ferrinha.

Já o Sub-14 também fez bonito neste segundo semestre de 2019. Na disputa do Festival Sub-14, Araraquara foi uma das sedes. Com quase 10 horas de muito jogos, sendo 20 minutos corridos, Ferroviária e Centro Olímpico decidiram a vaga para a decisão.

Após empatarem por 0 a 0 no tempo normal, as Guerreirinhas venceram, nas penalidades, por 5 a 4, e encararam na final o Meninas Em Campo, projeto idealizado pelo Santos, que venceu o São José por 1 a 0, na sede de Taubaté.

Em partida única, realizada na Rua Javari, as equipes empataram por 1 a 1. Nos pênaltis, a goleira Isadora brilhou e pegou pênalti decisivo, vencendo por 5 a 3 e garantindo o título inédito para a modalidade.

Além da arqueira, outros destaques foram a lateral Maria Eduarda, a zagueira Bia, a volante Aninha, as meias Fernanda e Gabrielli e atacante Raíssa.

A mescla de jogadoras do Sub-14 e 17 renderam um grande desempenho na última competição do ano, o Brasileiro Sub-16, disputado em Minas Gerais, neste mês de dezembro.

No grupo considerado da “morte”, a Ferroviária encarou Internacional-RS, Osasco Audax-SP e Avaí/Kindermann-SC. Com toda a dificuldade, as Guerreirinhas conseguiram passar da primeira fase na liderança, vencendo os três jogos: 3 a 0 sobre as catarinense, 3 a 2 nas Gurias Coloradas e 4 a 2 sobre o Audax.

Na semifinal, encarou o São Paulo (campeão) e foi goleada por 6 a 1, disputando assim a terceira colocação contra o Vitória-BA.

Após empatarem por 1 a 1, mais uma vez as penalidades (4 a 3) decretaram a conquista de mais uma medalha para a base do time time araraquarense.

Outro torneio que as Guerreirinhas Grenás disputaram na temporada foram os Jogos da Juventude, onde derrotou São José, nas penalidades, ficando com a medalha de ouro.

Gol aos 42 garantiu a Ferroviária na semifinal do Paulista Sub-17 – Crédito: Jonatan Dutra / Ferroviária S/A