Home Agronegócio

Até julho, safra canavieira 2022/23 registrou queda de 7,42% em relação ao ciclo anterior

No acumulado da safra, a moagem totalizou 282,79 milhões de toneladas ante 305,45 milhões de toneladas registradas no mesmo período de 2021 – queda de 7,42%

45
Resultado é reflexo do aumento na produtividade da lavoura

Relatório sobre a segunda quinzena de safra de cana divulgado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) apontou que a moagem de cana na segunda quinzena de julho na região Centro-Sul atingiu 48,93 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 4,31% em relação à quantidade registrada em igual período do ano passado, quando 46,91 milhões de toneladas foram processadas.

No acumulado da safra,a moagem totalizou 282,79 milhões de toneladas ante 305,45 milhões de toneladas registradas no mesmo período de 2021 – queda de 7,42%.

O diretor técnico da Unica, Antonio de Pádua Rodrigues, destaca que “a segunda quinzena de julho intensificou a trajetória positiva da primeira metade do mês e marcou um avanço na moagem. No mês fechado, o processamento de cana-de-açúcar cresceu 2,31%, a primeira variação positiva em um mês na safra 2022/2023.

Esse resultado é reflexo do aumento na produtividade da lavoura e, concomitantemente, do bom aproveitamento de tempo da indústria neste período mais seco do ano”.  Rodrigues acrescenta que “o aumento do rendimento agrícola observado no mês de julho deve se repetir nos próximos períodos, devido ao baixo desempenho desse indicador na safra passada, que representa os menores valores dos últimos 10 anos, em função da estiagem e impacto de geadas”.

A qualidade da matéria-prima colhida na segunda metade de julho, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, apresentou aumento de 0,57% na comparação com o mesmo período do último ciclo agrícola, registrando 148,26 kg de ATR por tonelada colhida. No acumulado da safra, o indicador segue com uma queda de 2,42% marcando 133,56 kg de ATR por tonelada.