Início Agronegócio

“Cana-de-açúcar é recurso alimentar e energético estratégico para o Brasil e o mundo”, diz Mourão

O vice-presidente fez questão de pontuar que as exportações de açúcar e etanol rendem mais de US$ 23 bilhões de divisas anuais para o Brasil

22
O vice-presidente da República Mourão

A cana-de-açúcar é recurso alimentar e energético estratégico para o Brasil e o mundo, afirmou, nesta terça-feira (27), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, na abertura do segundo dia da 20a. Conferência Internacional DATAGRO sobre Açúcar e Etanol. Realizado no formato online, o evento acontece até a próxima sexta-feira (30), combinando palestras e feira virtual.

Em sua exposição, o vice-presidente destacou todo o avanço tecnológico do agronegócio brasileiro, que cresce em produtividade, equilibrando aumento de produção e proteção ambiental. “O Brasil detém uma agricultura de elevado valor agregado tecnológico”, pontuou, acrescentando que “com isso, o setor promove desenvolvimento e qualidade de vida, com sustentabilidade”.

Mais especificamente sobre o setor sucroenergético, Mourão destacou os contínuos ganhos de rendimento associados ao cuidado ambiental, promovido, por exemplo, pela expansão da colheita mecanizada da cana. “O setor também é um grande gerador de empregos.”

O vice-presidente fez questão de pontuar que as exportações de açúcar e etanol rendem mais de US$ 23 bilhões de divisas anuais para o Brasil. “Somos destaque mundial em ambos os produtos e também na geração de bioeletricidade a partir da cana.”

Mourão salientou, ainda, que o etanol é o combustível do futuro, devido aos seus atributos ambientais e alta densidade energética. “Somos o país que mais substitui gasolina por etanol e continuaremos no esforço de promover a expansão dos biocombustíveis na matriz energética.” Ademais, o vice-presidente assegurou o total apoio do governo Bolsonaro ao avanço do RenovaBio.

Maurílio Biagi Filho

O empresário e uma das principais referências do setor sucroenergético brasileiro, Maurílio Biagi Filho, também participou da abertura do segundo dia da Conferência DATAGRO, deixando a mensagem que o desenvolvimento sustentável do agronegócio brasileiro incomoda muita gente.

“Não podemos ser vistos como vítimas de nossa eficiência. Temos inúmeros exemplos a dar. Somos recordistas na produção de alimentos, garantindo o abastecimento interno e gerando excedentes exportáveis, bem como um player mundial importante em energia limpa.”

Fonte: Datagro