Início Agronegócio

Conheça mais sete produtos feitos à base da cana-de-açúcar

Nem só de açúcar, etanol e cachaça vive a cana, confira

34

Da planta da cana-de-açúcar se obtém o açúcar, o etanol e a bioeletricidade, é gerada a partir da queima da palha e do bagaço da planta. Mas sabia que há uma série de outros produtos que são obtidos do vegetal? Confira.

Brinquedo de montar. A dinamarquesa Lego inovou ao substituir plástico derivado de petróleo pelo bioplástico, feito à base de polietileno, um plástico macio, durável e flexível, produzido com o etanol extraído da cana-de-açúcar. A meta da companhia é que até 2030, a fabricação de suas 75 bilhões de peças anuais sejam desse material.

Garrafa de refrigerante. O bioplástico da cana-de-açúcar, também conhecido como plástico verde, agradou também a Coca-Cola que passou a adotar o material para a fabricação de algumas garrafas. Outras empresas de alimentos e de cosméticos seguiram no mesmo caminho e adotaram embalagens do material para acondicionar seus produtos. Além de garrafas, há uma série de potes, tampas, revestimento de fios elétricos e até sacolas plásticas.

Papel. Do bagaço da cana-de-açúcar, a massa vegetal que sobra depois da moagem da planta na usina, pode ser utilizada para fazer papel. Até mesmo da palha de cana que fica nos campos, após a colheita, é aproveitável para produzir uma gama de opções como o papel sulfite, cartolina, papel jornal, e papel higiênico e guardanapos.

Cosméticos. Tem etanol da cana em produtos de beleza. Ele é muito utilizado nesses produtos, pela propriedade de secagem rápida após a aplicação, e por permitir o desenvolvimento de produtos que deixam a pele com um toque seco e o que é particularmente importante em linhas de cosméticos destinadas a pessoas com pele oleosa.

Antissépticos bucais. O etanol da cana é um dos componentes desse produto, que contribui na prevenção de cáries.

Perfumes. Esse pode até não tão novidade assim, pois a substância já faz parte do DNA de fabricação de perfumes e loções. A grande novidade, entretanto é o uso do etanol de segunda geração (etanol feito pelo bagaço e da palha da cana) numa linha de perfumes da gigante de cosméticos brasileira Boticário.

Vidro. Quem já viu o mocinho acertar o inimigo com uma garrafa num filme ou seriado, não precisa se preocupar porque não deve ter doído nem um pouco. Pouca gente sabe, mas a garrafa em cena é feita a base de açúcar. Esse é um dos usos do vidro falso ou cenográfico. O vidro falso também pode ter uso culinário.