Início Agronegócio

“Meninas da Roça” e as delícias do leite em Bueno de Andrada

O Laticínios Meninas da Roça que começou fabricando queijos, com os cursos dados em junho pelo Sindicato Rural e Senar acaba ganhando novos produtos com derivados do leite como iogurtes, manteiga e doce de leite, por meio de técnicas artesanais.

425
Na Fábrica Meninas da Roça em Bueno o curso dado pelo Senar e o Sindicato Rural vai ajudar a fortalecer a gastronomia do distrito

Foi em um pequeno laticínio, recém inaugurado com o SIM – Serviço de Inspeção Municipal, no distrito de Bueno de Andrade e onde a proprietária Flávia Honorato e mais um grupo de interessados, receberam capacitação para o processamento de derivados de leite.

O curso foi dividido em duas etapas, a primeira delas nos dias 6 e 7 de junho, sendo abordada a produção de manteiga, doces e fermentados derivados de leite. Já nos dias 13 e 14 de junho, de junho as participantes aprenderam a produzir queijos de massa crua, semi-cozida e cozida.

Com a formação de novos profissionais dentro do setor gastronômico o Senar SP e o Sindicato Rural cumprem o importante papel de contribuirem com o desenvolvimento econômico da região. Assim, Bueno de Andrada faz surgir um latícinios que produz, além do queijo – doces deliciosos e com alto padrão de qualidade

O pequeno laticínio representa o empreendedorismo de Flávia Honorato e uma sócia-colaboradora que decidiram investir na Fábrica Meninas da Roça, aproveitando a fama do setor gastronômico criado por Bueno de Andrade.

Localizado em uma esquina atrás da estação ferroviária, o laticínio um mês depois de inaugurado e fabricando apenas queijo buscou ampliar seu leque de produtos, encomendando para isso os dois cursos do Senar, totalmente gratuítos com objetivo de capacitar profissionais para o mercado de trabalho, principalmente a empresa.

As delícias dos derivados do leite

O BEABÁ DO LEITE

Nem bem começou a manhã do dia 6 e lá está a instrutora do Senar SP, engenheira de Alimentos Roberta Zanoveli Rossini, ao lado das alunas que se preparam para aulas teóricas. Mexendo com as colheres, elas logo depois disciplinam as panelas ferventes de onde sairão novas remessas de manteiga, doces e fermentados de derivados do leite.

A produção de queijo começou há pouco de um mês, depois da abertura da fábrica. Agora para ampliação da produção e buscando aumentar este portfólio, Flávia e sua sócia participaram do curso realizado em parceria com o Sindicato Rural e o Senar SP.

A capacitação trouxe novas perspectivas para as sócias pois se a fábrica dispunha apenas de queijos – também passou a ter novos produtos como outra fonte de renda.
Roberta, a instrutora, conta que nestes dois módulos, trabalhou junto aos oito alunos – os processos para produtos com características próprias dentro dos Regulamentos Técnicos de Identidade e Qualidade (RTIQ) e padrões de Higiene Operacional.

À esquerda o latícinios em Bueno; à direita, o presidente do Sindicato Rural de Araraquara, Nicolau de Souza Freitas e o coordenador regional do Senar SP, engenheiro agrônomo João Henrique, acompanham o curso ministrado pela engenheira de Alimentos Roberta Zanoveli Rossini

ACOMPANHAMENTO

O coordenador regional do Senar SP, engenheiro agrônomo João Henrique de Souza Freitas explica que este programa capacita profissionais ligados às atividades do campo para o desenvolvimento de produtos alimentícios oriundos do leite. Os alunos alunos aprendem sobre higiene pessoal, ambiente, equipamentos e utensílios; educação ambiental; conservação e tratamento do leite; pasteurização; principais etapas de fabricação; tipos de coagulação; medidas equivalentes; e noções básicas de comercialização.

Duas logos identificando os queijos fabricados no lugar e agora a nova marca com novos produtos também derivados do leite

Nisso tudo, explica o coordenador, o curso ajuda a levantar a autoestima da comunidade e a identificar o distrito enquanto polo produtor de doces de qualidade. Hoje é possível que seja oferecido um um doce padronizado, com sabores diferentes. Dentro do que foi ensinado criou-se um padrão de qualidade dentro da “doceria”.

Assim, Bueno de Andrade que era conhecida pelas suas coxinhas agora se agiganta com a produção de doces e do leite.