Início Agronegócio

Presidente do Sindicato Rural diz que agricultura está voltando mais forte

O presidente do Sindicato Rural, Nicolau de Souza Freitas, entende que o setor agro será o único capaz de sair da crise do coronavírus com mais oportunidades do que entrou na pandemia. Para ele, o mundo vai continuar demandando alimentos.

81
Nicolau de Souza Freitas, presidente do Sindicato Rural de Araraquara

Em Araraquara, o Sindicato Rural tem buscado quase que diariamente analisar o desempenho da atividade agro quase que diariamente. Para tanto, acompanha também o que economistas e consultores mostram publicamente, sempre acreditando que o agronegócio brasileiro poderá sair da crise gerada pela pandemia de coronavírus com algumas vantagens em relação aos seus concorrentes mundo afora. Este também tem sido o pensamento do presidente Nicolau de Souza Freitas ao analisar a atividade em nosso município.

Ele tem dito até com conhecimento e insistência que entre os motivos para esta saída fortalecida no mercado, está a competitividade da agricultura brasileira, o câmbio favorável, a confiança do mercado no Brasil como fornecedor e o investimento em agricultura digital nas fazendas.

Em Araraquara, o Sindicato Rural tem buscado quase que diariamente analisar o desempenho da atividade agro quase que diariamente

De fato, os analistas do setor revelam que o produtor precisa acompanhar esta tendência, porém, há um consenso de que é preciso exercitar o gerenciamento de risco, ou seja, planejar bem as safras 2020/2021 e 2021/2022, para não evitar impactos negativos nas colheitas.

Na última edição do Informativo do Sindicato Rural, Nicolau de Souza Freitas teceu alguns comentários importantes sobre a influência da pandemia nos negócios que envolvem principalmente os médios e os pequenos produtores e passados quase 30 dias ele reitera que  a pandemia deu uma desacelerada nos negócios, mas as exportações estão aumentando e tendem a aumentar mais. Ele justifica que essa é uma tendência natural pois os países compradores terão a necessidade de repor seus estoques nos próximos meses.

O importante para Araraquara é que – a crise não se acentuou tão forte no trabalho do homem do campo e que através da sua luta é que a economia vai se fortalecer ainda mais.