Início Agronegócio

Previsões de Safra: grãos em alta, cana se recupera e café tem à frente céu de brigadeiro

13

A colheita de grãos na safra 2019/20 deve somar 10,3 milhões de toneladas, o que representa acréscimo de 7,7% em relação à safra anterior, o bom resultado é consequência do aumento de produção estimado para amendoim (+31,3%), arroz (+4,8%), café (+33,2%), feijão de inverno sem irrigação (+3,7%), milho safrinha (+0,4%) e soja (+16,4%), informa a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta). Em contrapartida, são esperados decréscimos nas produções de: algodão (-13,6%), feijão das águas (-3%), feijão da seca (-22,5%), feijão de inverno (-12,5%), feijão de inverno irrigado (-14,7%), trigo (-4,8%) e triticale (-15,6%).

O conjunto das culturas anuais apresenta acréscimo de 2,5% na produção e na produtividade da terra, com destaque para o grupo dos grãos, especialmente soja, amendoim e arroz, afirmam os pesquisadores do IEA. No caso das culturas perenes e semiperenes, observa-se que o aumento de produção (2%) é influenciado pela melhor produtividade (2,3%), dado que a área diminui em 0,7%. O café é responsável pelo desempenho positivo desse grupo.

Em abril, foi realizado o terceiro acompanhamento da safra de banana, que sinalizou aumento de área (+1,4%) e produção (+1,9%). Levando-se em conta apenas a área em produção, houve acréscimo na produtividade (+3,2%) em relação à safra anterior. A atividade poderá atingir o total de 1,1 milhão de toneladas da fruta, em uma área de 57,4 mil hectares. Os três principais Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) são os de Registro, São Paulo e Jales, que concentram 76,7% da produção paulista.

A estimativa preliminar para a safra de café evidencia produção de 352,8 mil toneladas, montante 33,2% superior ao obtido na safra anterior. Tal resultado é reflexo do aumento de produtividade em 32,5% e não influenciado pelo ligeiro decréscimo de área produtiva (-0,4%). Acrescenta-se o satisfatório comportamento climático nas principais regiões em que a lavoura é conduzida. “No EDR de Franca, estimou-se colheita de 2,6 milhões de sacas de 60 kg, caminhando para recorde histórico de produção nessa região”, explicam os pesquisadores.

Para a cultura da cana-de-açúcar para indústria, os dados preliminares apontam ganhos de produtividade agrícola de 1,1%, por conta das condições edafoclimáticas positivas, resultando em um volume a ser produzido na safra de 0,7% a mais que a anterior, totalizando 438,5 milhões de toneladas. O setor mostra indícios de que o volume a ser produzido nesta safra se dirige à produção de açúcar. A produção de cana para indústria está disseminada em quase todas as regiões paulistas, com destaque para os EDRs de Barretos, Orlândia, Ribeirão Preto, que representam 21,2% da produção total do Estado. A produtividade média destes EDRs está acima de 78,0 t/ha, equiparando-se à média estadual de 78,4 t/ha.

A estimativa preliminar para a cultura da laranja é de 13,5 milhões de toneladas colhidas, 1,5% abaixo da quantidade obtida na safra agrícola anterior. Quanto à área total plantada, nota-se recuo de 1,4%, esse fato contribui para um volume menor, visto que há expectativa de leve aumento no rendimento (+0,3%). A área ocupada com pomares de laranja é de 448,6 mil hectares, correspondendo a 180,1 milhões de plantas, das quais 89,0% aptas para produção.

Para ler o artigo na íntegra, conferir as tabelas com informações sobre as demais culturas acompanhadas nesse levantamento, clique aqui.