Início Artigo

Como construir praças se a prefeitura não consegue limpar as que tem

Por Ivan Roberto Peroni

62

A reivindicação para construção de praças e unidades de saúde (postos de atendimento) feita por alguns vereadores junto ao prefeito, 10 meses antes das eleições municipais, até seria plenamente justa se a Prefeitura Municipal não estivesse nesse – misère financeiro, anunciado pelo próprio Edinho.

Ora, é preciso que o parlamentar tenha bom senso e ligue o controle do desconfiômetro, pois se o município não consegue manter limpas e arrumadas as praças que já existem na cidade é evidente que o pedido não tem outro entendimento senão meramente político para fins eleitoreiros. Da mesma forma, são os postos de saúde que não têm médicos, computadores, transformando unidades de atendimento em “bomba relógio”.

São essas práticas desajustadas e incabíveis que acabam transgredindo a paciência do cidadão de bem, sempre precavido em seguir os conselhos de políticos mais equilibrados que se expressam de forma simplória, porém objetiva de que – “mais vale comer um X-Salada em dois do que um pão com mortadela sozinho”.

Com uma prefeitura quebrada e que foi à Câmara Municipal pedir abertura de crédito de quase R$ 34 milhões para pagar o 13° salário dos servidores públicos, seria compreensível que houvesse cautela por parte dos vereadores em questão, pois a prefeitura não deve ser vista como balcão de negócios, muito menos com o tal – toma lá dá cá.

Não digo que em Araraquara exista parlamentar com este perfil de executivo de negócios, mas por este Brasil a fora, as transações sempre ocorreram e via de regra de maneira escancarada, onde os anseios políticos se sobrepõem aos interesses da comunidade. O prefeito dá, mas em troca pede o voto na Câmara para determinado projeto do seu interesse. É assim que caminha a humanidade.

Não há como se administrar coerentemente uma cidade com políticos pedintes que ora querem isso, ora querem aquilo, quebrando planejamentos e tornando a gestão pública num circo tomado por servidores públicos que acabam virando malabaristas a troco de interesses eleitoreiros. Basta!

*Ivan Roberto Peroni, é jornalista

** As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem,necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR