Início Artigo

Esporte de Araraquara está perto de um abismo

Por Adilson João Tellaroli

56

Parece que as coisas viraram de cabeça para baixo no esporte de Araraquara. Não pretendo ser derrotista, porque ainda temos do que nos orgulhar. Basquete, Futebol feminino, são exemplos, além de algumas performances individuais.

Mas há coisas difíceis de aceitar, como a venda pura e simples de patrimônio público esportivo. Ademais, outras situações parecem fugir à ordem natural das coisas.

O município tem uma determinação do ministério público para realizar obras de emergência no teto do Gigantão, até porque quando chove muito, a água infiltra a ponto de já ter estragado parte do moderno piso da quadra. Então o que fez a Prefeitura? A pretexto de não impedir a realização de jogos importantes, reformou o piso a toque de caixa. Seria ótimo se o problema acabasse aí. Mas não. Basta chover (e como tem chovido) o estrago pode se repetir. Na verdade, inverteram a ordem natural das coisas. Que o diga a engenharia!

A Ferroviária fez excelente campanha no Paulistão passado e chamou a atenção de todos, inclusive de conceituado empresário que resolveu investir no clube. Qual a primeira medida? Trocar o treinador, trazendo alguém de sua confiança. Tudo bem, era seu direito. Mas o que parece certo, nem sempre é correto. Todo trabalho de base técnica e tática que existia, foi perdido. Vinicius Munhoz pegou o boné e o substituto ficou uma semana no cargo. Perdeu-se tempo e dinheiro. E não parou por aí, porque às vésperas do campeonato, trouxeram Sergio Soares, sem tempo hábil para montar novo esquema. Contrataram um time inteiro ao invés de trazer jogadores pontuais e de boa qualidade. O resultado todo mundo está acompanhando com preocupação.

E como se não bastasse, surgiu neste início de semana, a notícia da saída do treinador. Deram até o nome do substituto e nada foi confirmado, o que causa ainda mais estranheza. Ou as coisas internas estão vazando ou alguém está minando todo um trabalho, o que é pior. Aliás, todo mundo que conhece um pouco de futebol sabe que a gota d’água para troca do técnico, será o jogo de quinta pela Copa do Brasil. A troca em caso de derrota, seria até natural no mundo futebolístico mas tenho dúvidas se seria a solução.

Feitas essas explicações, voltamos ao parágrafo inicial. As coisas estão invertidas por completo e falta pouco para se instalar o cáos porque me parece estar existindo uma briga de gato e rato num salve-se quem puder.

Sinceramente não é hora se saber quem tem mais poder. É hora de união, de tomada de decisões sérias e responsáveis por parte de mandatários políticos ou não; comandantes e comandados, porque nesse cenário de incertezas, estamos perto de um abismo que vai vitimar Araraquara!

*Adilson João Tellaroli – bola branca

** As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem,necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR