Início Artigo

Eu era feliz e não sabia…

Por Lineu Carlos de Assis

665

Nasci em Araraquara – Maternidade Gota de Leite – até meus 8 anos de idade morei na saudosa Usina Tamoio – que estava 100 anos à frente de seu tempo – lá fiz Jardim de Infância e o primeiro e segundo anos de grupo escolar na Escola “Gianina Morganti”; chegando em Araraquara terminei o grupo escolar no recém  fundado “Augusto da Silva César”, fiz um ano de Curso de Admissão com o professor José Pezza – Rua Itália quase esquina da avenida Feijó – me preparando porque queria e entrei no IEBA –  fiz Ginásio e Colegial no mesmo… nessa época não tínhamos Bolsa Família e nem o Vale Gás.

Não ganhávamos uniformes, o uniforme era comprado.

E “ai de nós” se não fossemos com o uniforme da Escola… não entrávamos………e se chegasse atrasado também não entrava ( Diretor/a não deixava entrar).

Tínhamos telefone em casa, mas também éramos acostumados a usar o famoso Orelhão…

As pesquisas eram em Biblioteca, da escola hahahaha…. como era divertido ir até a biblioteca. Era um evento…

O trabalho era escrito a mão e na folha de papel almaço, a capa feita em papel sulfite. (com todo capricho).

Em sinal de respeito, ficávamos de pé quando o professor chegava e entrava na classe. Sair da classe em meio a aula, só se estivéssemos muito apertado para ir ao banheiro.

A caderneta de presença era entregue na entrada – para o Inspetor de Aluno – e pega ao sair com a mesma carimbada com a presença.

Cantávamos os hinos Brasileiro, da independência,  da Pátria e outros mais… com as letras na ponta da língua. Plantamos árvores e cultuamos datas cívicas.

Aguardávamos ansiosos a nossa participação nos desfiles de 22 de agosto – aniversário da cidade – e 7 de setembro. Tínhamos orgulho de participar.

Tinha dever de casa e a Educação Física era esperada por todos.

Na escola tinha o Gordo, a Magrela, o/a Zoreia, Quatro Zóio, Cabeção, Baixinha, Olícia Palito, o Negão (tinha os apelidos ótimos também).

Todo mundo era zoado, às vezes até brigávamos, mas logo estava tudo resolvido e seguia a amizade…

Era brincadeira e ninguém se queixava de BULLYING.

Existia o Valentão/Valentona, mas também existia quem nos defendesse.

Na escola tinha Dia do Flúor (riamos muito com aquela babeira toda), e a merenda. Ah, o arroz com carne moída e feijão, polenta molinha, arroz laranjado com frango( meu prato favorito até hoje!) ….. pão com salsicha, nas datas comemorativas era um luxo….kkk a fila era gigante, e tinha também o pipoqueiro.

Antes de iniciar as aulas, a gente cantava o Hino Nacional.

As provas eram em papel Almaço…

Íamos para a escola a pé ou ônibus elétrico, em bando de vizinhos. E na saída adorávamos quando alguém fazia aniversário …. Era ovo, farinha.

Final de ano, não víamos a hora de acabarem as aulas para que os colegas escrevessem nas nossas camisetas.

A frase “PERAÍ MÃE ” era para ficarmos mais tempo na rua e não no computador ou no celular…

Colecionávamos figurinhas, selos, chaveiros, papel de carta, bolinha de gude… tínhamos ioio e outras brincadeiras, como o jogo de botão. As brincadeiras eram saudáveis, os meninos brincavam de bater figurinhas e não nos colegas e professores.

Adorava quando a professora usava mimeógrafo e aquele cheiro do álcool tomava conta da sala…

Na rua era, esconde-esconde, pular corda, amarelinha, queima, mãe da rua, betis, gol-caixão, etc…

Comíamos na rua mesmo, bebíamos água da torneira, andávamos descalços e vivíamos no sol sem protetor.

Não importava se nossos amigos eram negros, brancos, pardos, ricos, pobres, meninos ou meninas.

Todo mundo brincava junto e como era bom.

Bom não, era MARAVILHOSO! Filmes só assistíamos na TV e não víamos a hora de passar a Sessão da Tarde.

Que saudades dessa época em que a chuva tinha cheiro de terra molhada! e podíamos tomar banho nela sem ficar doente..

Época em que nossa única dor era quando passávamos mercúrio (porque merthiolate era pra burguês) nos machucados KKKK.

Educação era em casa, até porque, ai da gente se a mãe tivesse que ir à escola por aprontarmos.

Nada de chegar em casa com algo que não era nosso, desrespeitar alguém mais velho ou se meter em alguma conversa.

Fico me perguntando, QUANDO FOI QUE TUDO MUDOU ???? E os valores se perderam e se inverteram dessa forma ???

Se você também é dessa época, #COPIE, #COLE no seu mural, #MUDE o que for NECESSÁRIO…

Quanta saudade, quantos valores, que pra esta geração não valem nada.

Grato a Deus. Grato por tudo que VIVI e APRENDI. Grato aos meus pais, familiares, amigos e todos que fizeram e fazem parte da minha vida!

*Lineu Carlos de Assis, é publicitário

** As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem,necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR