Início Artigo

Paulo Roberto pode abrir novas perspectivas para Ferrinha

Por Adilson João Tellaroli – bola branca

34

Confesso que estava na torcida e faz tempo, para que Paulo Roberto viesse trabalhar na Ferroviária. Um técnico experiente, que conhece o interior, subiu com o Rio Claro em duas divisões, levou o São Bento a um lugar importante no Brasileiro e este ano fez uma campanha brilhante com o Santo André, que era virtualmente o campeão paulista antes da pandemia!

Se vai dar certo ou não, o tempo dirá, mas há razões para acreditar nisso, principalmente pelo bom começo. O maior problema me parece existir na formatação do elenco afeano que inegavelmente não teve a participação do técnico que chegou agora. Ele vai ter que trabalhar com o que lhe colocaram nas mãos. Aliás, foi a tônica dos últimos treinadores. Sergio Soares, Dado Cavalcanti e agora Paulo Roberto, receberam um elenco formado antes, desmontado e remontado em meio às competições, praticamente pelos dirigentes.

Não me lembro que os técnicos tenham dito que este ou aquele valor foi indicado por eles e não é o correto no futebol. Sem contar a negociação no meu modo de ver, precipitada, de jovens valores que poderiam render mais dividendos no final do ano, como Claudinho e Felipe Estrela, só para lembrar alguns exemplos. O clube investe na base mas os jogadores que se destacam, são aproveitados pouco tempo no time principal. Enfim, cabe aos investidores e à diretoria de futebol, responder por isso, mas Paulo Roberto pode mudar essa questão, se tiver voz ativa.

É importante que o novo técnico consiga ter as melhores condições para mostrar a competência do seu trabalho e levar a Ferroviária ao objetivo proposto no início da temporada, que é subir de divisão no campeonato brasileiro. Seria fundamental para o atual momento do nosso futebol, onde existe uma pressão declarada de quase todos os lados, para espremer o calendário dos estaduais, prejudicando o futebol do interior. Enfim, quem quiser sobreviver vai ter que se adaptar aos tempos, modernizar suas estruturas para não repetir exemplos negativos em grandes times, como Corinthians, Santos, Cruzeiro e outros, envoltos em dívidas. Para a Ferroviária que já deu passos importantes nesse sentido, se tornando um clube empresa, os próximos passos dentro de campo serão fundamentais!

*Adilson João Tellaroli – conhecido como “bola branca”, é jornalista esportivo e faz parte do Portal RCIA

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR