Início Artigo

Trocar treinadores ou seus conceitos?

Por Adilson João Tellaroli

396

As semi finais da Taça Libertadores da America, terão dois times brasileiros, o “copeiro” Grêmio e o Flamengo que investiu milhões.

As semi finais da Copa Sul Americana, terão pelo lado brasileiro, Atletico Mineiro e Corinthians. São duas competições internacionais e apenas um time paulista, que não está entre os favoritos.

Faço esse pequeno balanço, para reforçar uma tese que venho abraçando, a da renovação nas comissões técnicas, não tanto em nomes, mas em conceitos. Com elenco milionário e trazendo na retaguarda um recente titulo brasileiro, Felipão foi demitido no Palmeiras. Com três anos de Cruzeiro e também conquistando títulos, Mano Menezes foi sufocado pelos maus resultados e deixou o Cruzeiro. Por isso, os nomes não importam, giramos em torno dos mesmos e também do imediatismo dos dirigentes. O que importa são os conceitos e estes,não têm sido mudados.

No futebol brasileiro de hoje, amparados na falta de craques (aqueles que em uma jogada genial decidem uma partida), os treinadores, priorizam a posse de bola e uma defesa consistente. No futebol que aprendi a admirar, se dizia que a melhor defesa era o ataque. Hoje dizem que primeiro é preciso não tomar gol. Explicação plausível para a rodada da semana passada do campeonato Brasileiro, pobre em termos de gols. Foram seis jogos com o placard de 1 x 0. Não foi pior porque tivemos cinco gols na partida entre Botafogo e Inter e a goleada flamenguista em cima do Palmeiras.

Na busca de evitar derrotas e manter o emprego, nossos treinadores deixaram de lado a ousadia e a criatividade. Quase todo mundo joga da mesma forma. Aqui mesmo no âmbito local, a Ferroviaria continua com deficiências de criação e de ofensividade. Mesmo com a melhor campanha da Copa Paulista, não passou de um zero a zero sofrido diante do fraco Atibaia, porque o importante era nãoperder.Essa mesmice tática empobrece aquele que foi o melhor futebol do mundo. Porisso indago: trocar os técnicos ou seus conceitos?

Adilson João Tellaroli – bola branca