Início Cidade

Araraquara chega a 6 mil testes de Covid-19 por 100 mil habitantes

São mais de 14 mil testes ao todo, sendo 6,6 mil em pacientes sintomáticos e 7,4 mil testes rápidos para detecção de anticorpos; Brasil tem índice de 2.310 testes por 100 mil habitantes

33

Com quase 6 mil testes feitos a cada 100 mil habitantes, Araraquara é uma das cidades do estado de São Paulo com maior testagem de pacientes suspeitos da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O índice também é mais que o dobro do registrado em todo o Brasil.

Desde o início da pandemia até a terça-feira (21), Araraquara realizou 14.111 testes, ou seja, 5.977 para cada 100 mil habitantes — a cidade tem estimativa populacional de 236.072 pessoas, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Do total de testes, 6.653 foram coletados em pacientes com sintomas da doença pelo método RT-PCR, em parceria com a Unesp (Universidade Estadual Paulista), e 7.458 foram testes rápidos feitos junto com a Uniara (Universidade de Araraquara) para detectar a quantidade de pessoas que já desenvolveram anticorpos contra o coronavírus.

Segundo o Worldometers, site de estatísticas em tempo real, o Brasil fez 4.911.063 testes, em média de 2.310 para cada 100 mil habitantes (menos da metade de Araraquara). O estado de São Paulo, com 1.158.851 testes e 45.919.049 de estimativa populacional, apresenta o índice de 2.524 testes por 100 mil habitantes.

Para a secretária de Saúde, Eliana Honain, a ampla testagem é fundamental para a internação preventiva e para o real diagnóstico da pandemia.

“Com a testagem, é possível já internar o paciente preventivamente e deixar os familiares e comunicantes em observação e monitoramento, reduzindo a transmissão da doença. Também é possível saber a real situação epidemiológica do município”, explica.

A testagem de todos os sintomáticos que procuram o polo de triagem da Vila Xavier e as internações preventivas contribuem para Araraquara ter o menor índice de letalidade da Covid-19 entre as cidades do estado de São Paulo com mais de 100 mil habitantes.

Nesta quarta (22), o município registra 15 óbitos e 1.500 casos, ou seja, índice de 1%. O fato gerou repercussão na imprensa nacional e foi citado pelo Governo do Estado como um dos exemplos a serem seguidos pelos outros municípios.