Início Cidade

Casal faz marmitas para entregar à Geladeira Comunitária em meio à pandemia

Solidários, vêm arrecadando doações com amigos para fazer novas entregas; projeto da geladeira deve virar associação

1324
Carolina e Nathan já se preparam para um nova entrega

A nutricionista Carolina Carvalho de Oliveira e seu namorado Nathan Raphael Pinheiro, que adoram cozinhar, resolveram usar seus dotes culinários para a solidariedade.

O casal que costuma fazer marmitinhas para levar ao trabalho, achou por bem também entregar dezenas delas para a Geladeira Comunitária. Projeto de Ednan Dalle Piagge, que fica instalada em frente à Praça do Faveral na Vila Harmonia que doa comida para quem precisa.

Outra geladeira fica instalada em frente ao Centro Oncológico da Região de Araraquara (Cora). O projeto é mantido por meio de doações de água, suco, água de coco, frutas, biscoitos de polvilho e de água e sal, entre outros alimentos, que são destinados aos pacientes em tratamento e seus acompanhantes que, em muitos casos, vêm de outras cidades, passam longas horas no hospital e não possuem condições financeiras para se alimentar.

Carolina conta que esta é a segunda doação que faz à geladeira, “Nathan conversou com Ednan e ele havia dito que a demanda com a pandemia havia aumentado, inclusive com muitas crianças, e na quarentena que estamos em casa, fizemos várias marmitinhas e congelamos, e fomos disponibilizando para a geladeira um pouco de cada vez”.

Ela conta ainda que após a montagem das marmitas, resolveram fazer uma foto e colocar nos grupos de amigos e perguntar se havia mais alguém que quisesse participar, “colocamos também em nossa rede social e para minha surpresa, em menos de 24 horas de postagem, recebemos várias doações e tem muita gente querendo doar. Recebemos doação até de amigos dos Estados Unidos. Isso me deixou muito feliz, pois agora poderemos ajudar mais, atingindo muito mais pessoas” – conta ela realizada.

A geladeira atende cerca de 120 famílias cadastradas

De acordo com Ednan a geladeira comunitária que vai completar 4 anos, nesta pandemia está entregando cerca de 500 marmitas. “O volume aumentou muita gente desempregada, mas graças a Deus e as doações estamos conseguindo suprir a demanda. Estamos pedindo para que venha uma pessoa por família para não aglomerar”.

Ednan mantém também uma cozinha comunitária no bairro do Hortênsias, ele ressalta que tem o cadastro de cerca de 120 famílias a qual eles entregam cestas básicas que montam com as doações que recebem. Eles recebem também agasalhos, cobertores, livros, brinquedos, ração para animais e fazem a distribuição. “Nesta segunda-feira (8) recebemos quase 700 telhas e já doamos para uma família necessita”- afirmou ele.

No início o intuito da geladeira era atender aos moradores de rua. Só na praça do Faveral moravam cerca de 33 pessoas. Com o trabalho feito por eles, hoje não há ninguém morando na praça. Ednan intercedeu junto às famílias, para que pudessem receber-los de volta ao seio da família, outros ele arrumou empregos e alguns foram internados em clínicas para tratamento.

“Um dos antigos moradores de rua o Matheus Pereira, hoje trabalha com geladeira solidária, recebendo doações, entregando, organizando o trabalho. Hoje ele tem uma vida digna e é o meu braço direito”- ressaltou Ednan.

Agora o projeto da geladeira comunitária que fica em dois pontos da cidade, farão parte de uma associação que Ednan pretende montar. Com um CNPJ, a entidade poderá receber doações governamentais, inclusive direcionamento de Nota Fiscal Paulista, para que possam ampliar seu propósito e conseguir ajudar a todos que o procuram. Segundo Matheus que cuida com todo o carinho da geladeira, diz que eles não recebem nenhum auxílio do município ou do governo, que dependem apenas da boa vontade e solidariedade do povo araraquarense.

São em momentos de ruptura, que surgem as ações solidárias como a de Carolina e Nathan que usam do amor pela cozinha, como um mecanismo de minimizar os danos diante da fragilidade humana e de se reconhecer no lugar do outro.