Início Cidade

Garota de 13 anos trazida pelo vigilante está de volta ao Ceará

Ela embarcou esta manhã para Maranguape e ainda não tinha conhecimento da morte do rapaz

335
Casa de onde fugiu a garota de 13 anos num distrito de Maraguape

Terminou nesta manhã de terça-feira (7) o drama de uma família simples que reside em Itapebussu, região de Maranguape, no Ceará, que teve a filha de 13 anos, sequestrada pelo vigilante e trazida para Araraquara.

Acompanhada por conselheiros tutelares de Araraquara, a garota tomou um vôo no aeroporto de Guarulhos rumo Maranguape, onde foi recebida no Ceará pelos conselheiros da cidade e levada até sua casa.

Em contato com o Conselho Tutelar de Araraquara, a informação é que a menina chegou bem e já está com a família e segue sendo cuidada pelo Conselho local.

Vale ressaltar que exames para constatar uma possível gravidez foram realizados antes que a garota voltasse para o Ceará, tendo como resultado negativo. E segundo informação do Conselho Tutelar a garota, não foi informada da morte do rapaz.

Entenda o caso

O pequeno distrito de Itapebussu, com pouco mais de 5 mil habitantes, vinha fazendo desde o dia 5 de junho, permanentes apelos através das redes sociais para localizar a garota de 13 anos, sempre temendo pelo pior.

O Portal RCIA entrou em contato com familiares da garota em Itapebussu, e  observou a alegria de todos em saber que a garota estava em Araraquara, no bairro da Vila Xavier, trazida por um homem de 30 anos que foi acusado por sequestro e estupro de vulnerável.

Segundo consta, desde o dia 8 de junho, quando aqui chegaram da região nordeste do país, o acusado mantinha com a menina um relacionamento de marido e mulher. Os dois se conheceram pelas redes sociais e depois de conversarem por vários dias ele fez a proposta de ir buscá-la em Itapebussu, no Ceará.

Os familiares contam que a garota teria saído pela janela durante a madrugada seguindo por um caminho de terra que mostravam suas pegadas. À TV CE Notícias de Maranguape o pai narrou que conseguiu seguir os passos da filha até o asfalto onde o homem estaria aguardando a menina.

A localização dela só foi possível quando uma colega teria contado à família e aos policiais de Maranguape que a menor poderia estar em Araraquara, no interior de São Paulo. A partir do rastreamento feito nas redes sociais a Polícia Civil do Ceará foi passando as informações para a delegada Meirelene de Castro, da DDM de Araraquara, que num excelente trabalho descobriu o endereço do homem, que acabou preso em flagrante.

Dizendo que não tinha bom relacionamento com os pais, a garota foi entregue ao Conselho Tutelar e encaminhada para um abrigo em Araraquara.

O vigilante foi preso em flagrante e levado para a Cadeia Pública de Santa Ernestina onde apareceu enforcado no interior da cela que ocupava, isoladamente.