Início Cidade

Nome de Varela deve ir para a Fatec em Araraquara

Proposta é que professor José Arana Varela, morto em 2016, dê nome a Fatec de Araraquara; o Projeto de Lei está na Assembleia Legislativa.

50
José Arana Varela, morto em 2016

Um projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo denomina “Prof. José Arana Varela” a Faculdade de Tecnologia de Araraquara, Fatec Araraquara, unidade de ensino superior tecnológico do Centro Estadual de Educação Tecnológica “Paula Souza”.

Apresentado pelo deputado estadual Marcos Zerbini (PSDB), o projeto de lei nº 1309/2019 presta homenagem ao professor José Arana Varela, falecido em maio de 2016, aos 72 anos de idade. Professor titular do Instituto de Química da Unesp, em Araraquara, Varela foi o primeiro docente da Universidade a assumir o cargo de diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Foi também membro do Conselho Superior da Fapesp de 2004 a 2010 e seu vice-presidente de 2007 a 2010.

Varela foi presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais, fundador e diretor da Agência Unesp de Inovação (Auin) e coordenador em Inovação do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da Fapesp, dirigido pelo professor da UFSCar Elson Longo da Silva, parceiro inseparável de Varela. O CDMF também recebe investimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).

Nascido em Martinópolis, interior de São Paulo, em 11 de abril de 1944, o professor José Arana Varela graduou-se em física pela USP, com mestrado em física pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e doutorado em Ciência de Materiais pela University of Washington.

Era membro do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, da Sociedade Brasileira de Física, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências.

Varela também era membro da World Academy of Ceramics, da American Ceramic Society, do Conselho de Curadores da Ceramic and Glass Industry Foundation, e da Materials Research Society.

Recebeu vários prêmios e honrarias, entre os quais o Prêmio Epsilon de Ouro, da Sociedade Espanhola de Cerâmica e Vidro –o primeiro não espanhol a receber a distinção; o Prêmio Scopus Elsevier, pela sua contribuição para a ciência no Brasil; o Global Star Award (2013) e o Bridge Building Bridge Award (2014), esses dois últimos da American Ceramic Society.

Como pesquisador, Varela tinha grande experiência em ciência de materiais, com ênfase em materiais cerâmicos, especialmente em estudos com filmes finos, materiais ferroelétricos e dielétricos, varistores, propriedades de contorno de grãos e sinterização. Manteve forte intercâmbio com instituições de pesquisa na Espanha, França, Estados Unidos, Eslovênia e Itália.

Foi membro do corpo editorial de diversas revistas, entre as quais Ceramics International, Science of Sintering, Cerâmica e Materials Research.

Publicou mais de 500 artigos em revistas internacionais e desenvolveu mais de 35 projetos e convênios, tanto com o setor público quanto com empresas. Orientou e co-orientou mais de 50 teses e dissertações.