Início Cultura e Lazer

Artista visual araraquarense Liz Under participa de exposição virtual “Feather Dusting/Future Lusting”

Exposição é organizada pelo coletivo britânico Kleió Collective e explora as relações de hierarquia, opressão e revide durante a quarentena

155
Além de Liz Under, participam também outros artistas

A artista visual araraquarense Liz Under é uma das participantes da exposição “Feather Dusting/Future Lusting” (espanador de penas/cobiça futura), realizada pelo coletivo britânico Kleió Collective, com início nesta quinta-feira, 18 de junho. A exposição é virtual e pode ser conferida no site kleiocollective.co.uk.

A exposição é dividida em duas partes, apresentando trabalhos de mais de 30 artistas, escritores, atores e criativos de cinco continentes. Atravessando várias disciplinas, a exposição abrange uma variedade de mídias digitais e não-digitais, incluindo GIFs, games, performances, pinturas, trabalhos sonoros, escultura, vídeo, texto, quadrinhos, instalação e objetos. Ainda, a programação conta com eventos virtuais, incluindo performance ao vivo, leituras, discussões e workshops online.

Além de Liz Under, participam os seguintes artistas: Marija Avramovic & Sam Twidale, Ikeroah Chisom, Aurelie Crisetig, Cybercesspool, Joey Dean, Aimilia Efthimiou, Lauren Hill, Anneasha Hogan, Dr. Howard & Adrian Pijoan, Tiri Kananuruk & Katya Rosanova, Fiona Koh Li Ping, William Kung, Lidia Lidia, Joaquin Margulis, Kate Meehan, ODC Ensemble, Beryl Perron-Feller, Aleksandra Sidor, Lena Stewen, Kate Tatsumi, Nicolette Teo, Flavia Tritto e Coralie Zimmerman.

“Feather Dusting” corresponde à árdua e contínua batalha do feminismo com a domesticidade e o papel percebido das mulheres dentro de casa. O tema da mostra tem como referência obras de arte feministas clássicas, sendo um convite para o espectador considerar como será a descendência contemporânea dessas obras, em um mundo onde, pela força do COVID-19, todos são solicitados a reavaliar o relacionamento com o doméstico: a ficar cara a cara novamente com o “espanador de pó” (feather dusting, em inglês).

Reconhecendo esse símbolo emplumado da opressão doméstica, as obras de arte em Feather Dusting abordam uma série de questões relacionadas à domesticidade, expressando atitudes conflitantes em relação à casa que foram intensificadas durante o confinamento do COVID-19.

Assim, várias temáticas são abordadas, como: a (re)abertura de um caminho de exploração a partir do momento que alguns aristas retornam para as casas de suas famílias; o desafio de equilibrar o trabalho doméstico não remunerado com as práticas criativas, já que a maioria das tarefas domésticas e responsabilidades de cuidar ainda caem sobre os ombros das mulheres; ou até mesmo a relação arbitrária entre trabalho doméstico e gênero e o aumento acentuado nos níveis de abuso doméstico.

A artista de Araraquara é autodidata e desenvolve sua pesquisa acerca das relações de poder, com foco na condição da mulher, transitando entre pintura, gravura, performance, fotografia e desenho. Irreverente, seu trabalho seu trabalho muitas vezes é recheado de humor ácido com uma pitada de crueldade, mas também é visceral e muito emocional. Em Araraquara é atuante no cicuito cultural, com participações marcantes no Território das Artes, Bienal Internacional de Gravura Lívio Abramo, Festival de Dança de Araraquara – entre outros.

Importante destacar que Liz Under, o ano passado, foi convidada pela renomada artista Maria Bonomi para participar de exposição na Galeria Transarte, em São Paulo – galeria pioneira na apresentação de artistas com temática LGBTq+ e arte transgressora e que destaca jovens que militam corajosamente nas artes visuais do Brasil com trabalhos em fotografia, pintura, desenho e gravura. Também em 2019, Liz participou da exposição coletiva “Arte Resistência num Brasil de Retrocessos”, no Festival Feminista de Lisboa, em Portugal.

Ainda, sobre a exposição virtual, em “Future Lusting” os artistas são convidados a usarem a especulação como uma ferramenta política, usando o novo e mais lento ritmo de vida para refletir, examinar “onde estamos” e “para onde estamos indo”, imaginando possibilidades alternativas de como reconstruir a sociedade – criando novas possibilidades para sua organização, redes de assistência, questões ambientais, justiça social e cura. O trabalho exibido em “Future Lusting” varia do fantástico ao factual, do pessoal ao político e do esperançoso ao crítico. Os artistas exploram inúmeras perspectivas em suas representações de futuros em potencial, fazendo questionamentos ou criando respostas.

Vale apontar que grande parte do trabalho de “Feather Dusting/Future Lusting” foi produzido durante a crise de COVID-19, período que deixou uma marca profunda na maneira como a arte é conceitualizada, produzida e distribuída em 2020. Embora o impacto da crise e suas medidas de bloqueio estendidas podem ser sentidas ao longo da exposição, muitas das obras de arte apontam para temas e questões maiores já existentes na sociedade e: a distribuição do trabalho doméstico, abuso doméstico, crise climática e potencial de cura de autocuidado, espiritualidade e poder imaginativo.

O coletivo britânico Kleió é um coletivo curatorial comprometido em trabalhar com artistas e profissionais contemporâneos para tratar da exclusão histórica de identidades marginalizadas. Procura trazer histórias negligenciadas à tona através de um programa de eventos socialmente engajados, exposições, publicações e projetos curatoriais.

A programação do evento pode ser conferida no site do coletivo, que também possui conta ano Instagram (@kleio.collective); já para acompanhar Liz Under, acesse no Instagram @liz.under.

SERVIÇO

Exposição virtual “Feather Dusting/Future Lusting”

Lançamento: quinta-feira (18 de junho)

Site: kleiocollective.co.uk