Início Cultura e Lazer

Mamonas Assassinas: empresário relembra show que lotou o Gigantão

Moacir dos Santos Rodrigues, o Portuga, conta que dias antes do evento a vidente Mãe Dináh havia previsto tragédia no interior; avião caiu três meses depois, há 25 anos, matando todos os integrantes da banda; confira fotos inéditas da apresentação

1304
Mamonas Assassinas fez show no Gigantão três meses antes da tragédia que matou seus integrantes

Era 30 de novembro de 1995. Dia de show da banda Mamonas Assassinas, sucesso em todo o Brasil. O empresário Moacir dos Santos Rodrigues conta que o grupo ainda não era tão famoso quando contratou o evento, mas até o dia do show eles tiveram uma ascensão meteórica.

Moacir aparece nessa foto no camarim, no momento em que o músico Sérgio dava autógrafo a um fã

“Estava vendendo ingressos bem pra caramba, porque eles estavam bombando na mídia, mas infelizmente a Mãe Dináh falou no programa do Gugu dias antes que haveria uma grande tragédia em um ginásio de eventos no interior de São Paulo”, recorda o responsável pela Portuga Produções.

Foto inédita do show de 1995 em Araraquara

Mesmo com o receio da população, gerado pela fala da vidente, foram vendidos quase sete mil ingressos. “No dia, tinha pagante com o ingresso na mão na porta do Gigantão com medo de entrar”, diverte-se.

Bento Hinoto no camarim do Gigantão

Durante o show, continua Portuga, os integrantes do grupo brincaram com a pretensa “profecia” da Mãe Dináh. “Eles diziam: o gigantão vai cair, põe o RG na boca e prende nos dentes para ajudar a reconhecer o corpo”, relembra.

“Eles se divertiam fazendo show, eram alegres o tempo todo, em todo lugar, não só em cima do palco. Para eles, era uma grande curtição. Foi muito legal, uma lembrança bacana que a gente tem”, finaliza.

No total, cerca de 10 mil pessoas compareceram ao Ginásio de Esportes Castelo Branco em Araraquara. Três meses depois, dia 2 de março de 1996, ou seja, há 25 anos, o avião da banda caiu, matando todos os integrantes.

Imagens do show três meses antes da tragédia que completa 25 anos