Início Destaques

Doutor Lapena foi sabatinado pelos diretores da ASPA em Araraquara

O candidato a prefeito em Araraquara, Doutor Lapena foi questionado por diretores da ASPA durante entrevista realizada ao vivo pela página da associação no facebook. O trabalho foi feito em parceria com o RCIA Araraquara.

51
Diretores da ASPA com o candidato a prefeito Doutor Lapena

O Doutor Lapena que é candidato a prefeito pelo Patriota em Araraquara (Coligação EnDireita Araraquara) atendeu convite da diretoria da Associação dos Servidores Públicos de Araraquara e participou de uma roda de conversas sobre a atuação dos servidores públicos municipais. O candidato chegou à sede da entidade na Rua Itália, em Araraquara, acompanhado da sua equipe de assessores e falou sobre o que pretende fazer pelo funcionalismo municipal e programa de governo por quase 17 minutos.

Lapena respondeu quatro perguntas feitas por diretores, além de expor no final da entrevista seu programa de governo dividindo as explicações em tópicos que ele considera mais significativos como candidato nas eleições previstas para este domingo (15). A sabatina pode ser acompanhada na íntegra nas páginas da ASPA e do Portal RCIA.

O presidente da ASPA, Adilson Custódio fez a saudação de boas vindas ao candidato Doutor Lapena em nome da diretoria comentando que – a iniciativa da entidade em discutir políticas públicas estava entrando para a história do funcionalismo público: A ASPA, disse o presidente, tem uma interação com o servidor público e possuindo centenas deles em seu quadro associativo, busca saber o que os candidatos podem oferecer à classe”, disse o presidente.

Lapena ao abrir sua participação na roda de conversa disse que “seu pai foi funcionário do DER – Departamento de Estradas de Rodagem, por muitos anos e que pela entidade sempore manteve um reconhecimento muito. Meu pai falava muito dos propósitos da ASPA”, destacou.

A primeira pergunta foi colocada na mesa pelo vice-presidente da ASPA, Paulo Dimas Cezar, que disse ao candidato: “Segundo consta, servidores não teriam ficado satisfeitos com os Planos de Carreiras, Cargos e Vencimentos (PCCVs) encaminhados para análise dos vereadores e posteriormente aprovados por eles na Câmara Municipal”. E aproveitou para perguntar: “Acredita o candidato que há necessidade de reestudo, visando naturalmente a satisfação da classe?”

De acordo com o candidato, o PCCV trouxe muitas reclamações dos servidores municipais e que o plano precisa ser bom primeiro para o servidor, abrindo espaço para quem quer se aprimorar e crescer dentro da profissão. Lapena destacou que – sua equipe tem um corpo técnico para analisar o PCCV e fazer as mudanças necessárias que poderão contemplar o servidor.

Adilson Custódio comentou com Lapena sobre o reajuste de salário. Ele indagou: “Servidores públicos poderão ter salários reajustados somente em 2022, por conta da crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus. Teria o candidato alguma estratégia para mudar este cenário, ainda que a decisão do governo é considerada legal?”

Lapena respondeu que “será preciso enxugar a Prefeitura, pois as dívidas somam quase meio bilhão de reais; vamos extinguir os cargos comissionados e rever todos os contratos de licitações. Com essas iniciativas vamos fazer com que a Prefeitura valorize o servidor municipal. E valorizar é estimular o trabalhador, valorizar, aumentar o salário, ampliar o ticket”.

No ciclo de perguntas, o diretor jurídico da ASPA, Geraldo Marega, destacou um assunto importante – lembrando que, com a pandemia, ainda que seja um fato atípico vivemos o drama do afastamento de funcionários com mais de 60 anos, motivado por uma decisão judicial. Sem previsão de volta e sem a contratação de profissionais, acumulando atividades em alguns setores, como resolver a situação se ela perdurar por mais 6 meses?

Lapena foi enfático – nós não acreditamos que o desvio de função seja uma coisa ideal. Podemos até explicar – temos condições de encaminhar uma pessoa do administrativo para ocupar uma função também administrativa em outra secretaria, mas não podemos repor um médico, um enfermeiro, alguém que tenha uma função especifica por outra de área diferente.

O tesoureiro Mário Camargo deixou para Lapena uma pergunta sobre a valorização do servidor público esclarecendo que ela sempre foi muito discutida. E completou – o que se entende por valorização, como ela poderia ocorrer num momento em que, por uma série de circunstâncias os municípios encontram dificuldades para auto se sustentarem?

Se é uma lei federal temos que cumpri-la. Vejo que o país entrou em um caos econômico. Quantas empresas não foram fechadas? Quantos milhões de pessoas não perderam o emprego? A economia despencou, o governo não tem mais de onde tirar dinheiro, a prefeitura está ajudando muita gente. Nós temos que agir, não podemos deixar as pessoas passarem fome na cidade. As soluções básicas devem ser supridas.”

Mais adiante citou: “Temos que ser honestos. Ver como vai estar a Prefeitura para analisar a forma que poderemos solucionar o impasse. Se a pandemia durar três anos como vamos resolver isso”.

No final da entrevista além da mensagem de agradecimento o candidato falou dos pontos principais do seu programa de governo. Assista clicando no vídeo abaixo.