Início Destaques

Ainda sem partido, Coronel Prado pode ser a renovação nas eleições de 2020

Nos últimos meses de forma gradativa, um nome começou a circular com certa reserva na comunidade até chegar à liderança de uma enquete com visão política organizada pelo RCIARARAQUARA. Considerado surpresa, Wagner Prado atingiu 30% de indicações para ser um dos prováveis pré-candidatos a Prefeitura de Araraquara em 2020, obtendo nove pontos a mais que o médico Luís Cláudio Lapena Barreto, ou seja, cerca de 50% de diferença acima da pontuação obtida pelo 2° colocado, um bom começo para quem saiu do anonimato no começo deste ano.

1038
Coronel Prado, 52 anos de idade, formado em Ciências Jurídicas e disposto a servir sua cidade

Mas quem é Wagner Tadeu Silva Prado? Militar, que chegou ao último posto da corporação militar em abril de 2018, um mês antes de completar 51 anos de idade. Casado, três filhos, uma neta, não teve uma infância regada a privilégios e um dos pontos favoráveis para sua ascensão meteórica dentro do ambiente político é sem dúvida a seriedade com que se impõe em sua atividade profissional desde os 19 anos de idade.

Na infância e aos 19 anos na Força Aérea Brasileira

No começo da minha vida foram muitos os momentos difíceis, disse ele esta semana, logo após o anúncio sobre o resultado da enquete, a primeira delas, com nomes sugeridos pelos meios políticos e a possibilidade de uma única indicação feita por meio do registro de IP (cada computador ou celular). Na verdade, quem o conhece sabe que o resultado não foi surpresa para amigos e seguidores: pessoas que apostam na renovação e moralização da política vêm organizando o lançamento do seu nome como pré-candidato a prefeito de Araraquara.

Prado com os filhos Tiago e Luís Gustavo, também o irmão Edson

De família muito humilde, cujo pai era carpinteiro na CTA e a mãe merendeira e depois professora na prefeitura em Araraquara, o Coronel Prado começou a trabalhar desde muito jovem. Trabalhou com serviços rurais, dentre eles como apanhador de laranja, capinando cana e ajudando a fazer cerca para contenção de gado. Além disso, tinha que cuidar da alimentação dos animais.

Entre os atropelos da infância e adolescência, vendeu sorvetes na rua utilizando uma caixa de isopor. Por algum tempo entregou jornal – Folha da Cidade – de bicicleta em residências e lojas de Araraquara. Conseguiu ainda trabalhar em uma fábrica de rodos e vassouras, oficina de bicicletas, apicultor, garçom, chapeiro em restaurante e lavava peças em uma oficina mecânica para caminhões. A vida foi-lhe dando espaço para aprender a vencer as dificuldades, além de conhecer pessoas que conviviam nos mais diversos ambientes.

O casal Rafaela-Wagner Prado e o filho caçula, Guilherme

Ao chegar aos 18 anos, Wagner Prado – como era conhecido, alistou-se na Força Aérea Brasileira em Pirassununga, cujo serviço militar foi realizado em 1986 aos 19 anos. Ao sair da FAB, no início de 1987, trabalhou 6 meses na fábrica de meias Lupo e em julho do mesmo ano ingressou nas fileiras da Polícia Militar como soldado, foi cabo também e, já em 1989 começou o primeiro ano da Academia de Polícia Militar do Barro Branco.

O filho da dona Maria de Lourdes Silva e do seu Calixto Prado Filho, já falecidos, por uma boa parte da vida viram o filho despontar como um dos nomes mais respeitados e admirados na Polícia Militar. Formado em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito de São Carlos, Prado disse à reportagem que se for mesmo encarar o desafio de ser um dos pré-candidatos a ocupar a cadeira no 6° andar do Paço Municipal, deverá se afastar das atividades militares de Coronel no início de abril de 2020 para a reserva, por conta da exigência da legislação eleitoral.

Prado comanda a região do Alto Tietê, Mogi das Cruzes e mais 7 cidades na região metropolitana de São Paulo

“Uma de minhas bandeiras que reflete diretamente na segurança pública e que costumo falar na região que comando atualmente, é que a mudança e o progresso do país devem se iniciar pela Educação, pois com uma sociedade mais culta e justa o reflexo natural é minimizar problemas na área de Saúde e da Segurança Pública”, diz o militar de maneira até mesmo entusiasmada. Ele diz admirar países ditos como de primeiro mundo, cujo patriotismo e o respeito às autoridades são invejáveis e exemplos a serem seguidos.

Sobre o partido que vai se filiar após às convenções do ano que vem, Prado ainda não se definiu, mas sinaliza e afirma que será de direita e que pregue “Ordem e Progresso”, conforme estampado em nosso maior símbolo Pátrio, a Bandeira Nacional. Jamais “Desordem e Regresso”, como já vivenciamos. O militar ainda permanece na ativa, comandando a região do Alto Tietê, Mogi das Cruzes e mais 7 cidades na região metropolitana. “Tenho que me desincompatibilizar das funções 6 meses antes do pleito por exercer função de ordenador de despesas. Se não fosse, seriam 4 meses antes de 4 de outubro de 2020”, completa.