Início Cidade

Araraquara não recebe nem metade das vacinas de que precisa

As doses que chegaram nesta quarta (20), de acordo com Honain, não cobrem todos os funcionários da Saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus

471

Desde o último domingo (17), o Brasil já tem vacina contra a covid-19. Agora, a forma de vacinação é o problema a ser enfrentado. Hoje, não existem datas marcadas para as fases do plano de imunização e muito menos doses suficientes dos imunizantes para atender toda a população.

Araraquara que recebeu nesta quarta-feira (20),  4.080 doses, o que segundo a Secretária de Saúde Eliana Honain, poderá alcançar 50% dos funcionários que estão na linha de frente do combate ao coronavírus. A vacinação tem início na cidade nesta quinta-feira (21).

O Governo do Estado de São Paulo entrega mais 125 mil vacinas do Butantan contra COVID-19 para outros 75 destinos. Os caminhões, escoltados pela Polícia Militar, estão saindo do Centro de Distribuição de Logística (CDL), na capital, para chegarem aos destinos até amanhã (21).  Os novos pontos incluem cidades das regiões de Sorocaba, Vale do Ribeira, Araraquara, São José do Rio Preto, Barretos, Vale do Paraíba e Litoral Norte, Bauru, Ribeirão Preto e Franca. Ainda ontem (19), remessas foram enviadas também para a região de Marília. (confira tabela com as regiões, cidades e número de doses).

GOVERNO FEDERAL

O Ministério da Saúde diz que a expectativa é que a população brasileira esteja vacinada apenas no ano que vem.

Mas, no comunicado enviado, a palavra mais comum é “depende”. Não há certeza sobre quando todos os brasileiros estarão imunizados contra o novo coronavírus. Na melhor das hipóteses, a expectativa é isso ocorra no segundo trimestre de 2022.

“O Ministério da Saúde estima que, no período de 12 meses, posterior à fase inicial, concluirá a vacinação da população em geral, o que dependerá, concomitantemente, do quantitativo de imunobiológico disponibilizado para uso”, diz a pasta.