Início Destaques

Centro de Estabilização do Melhado será reaberto nas próximas semanas

Promessa de campanha de 2016 do Prefeito Edinho Silva, a reforma na unidade de saúde também foi uma reivindicação eleita pelo Orçamento Participativo

41
A unidade será adequada para ser uma retaguarda ao sistema de saúde já existente na cidade

Na tarde desta segunda-feira (28), o prefeito Edinho vistoriou as obras do Pronto Socorro do Melhado. A reforma foi uma reivindicação eleita pelo Orçamento Participativo e está perto de ser entregue à população de Araraquara. As obras estruturais estão na fase final e em seguida será executada a instalação dos equipamentos.

“Será uma unidade fundamental para a rede de saúde de Araraquara, aliviando a ocupação de leitos na Santa Casa e oferecendo total estrutura para os pacientes que aguardam resultados de exames.

É um local que nunca deveria ter sido fechado, o que infelizmente foi feito. Mas agora, com a decisão da população, estará novamente prestando atendimento de qualidade para o SUS de nossa cidade”, explicou o prefeito.

A unidade será adequada para ser uma retaguarda ao sistema de saúde já existente na cidade, dosponibilizando 20 leitos hospitalares. O local também contará com uma estrutura de diagnóstico, com exames laboratoriais, ultrassom, tomografia, raio-x, endoscopia e colonoscopia.

O objetivo é que todos os casos mais urgentes das UPAs, mas que não necessitam de internação na Santa Casa, sejam enviados para a unidade do Melhado, em vez de ocuparem leitos no hospital. São casos de pacientes que estão à espera de diagnóstico e internação, o que irá desafogar o atendimento na Santa Casa, que atende Araraquara e mais 17 cidades da região.

Fechado em 2012, o PS do Melhado tem suas viabilizadas por meio de recursos do Ministério da Saúde, que liberou R$ 8 milhões por meio de dois convênios: R$ 4 milhões utilizados para reformas, adequações e ampliações, além da construção dos leitos-dia; outros R$ 4 milhões destinados para a compra de equipamentos para o retorno do centro de diagnóstico, com exames de imagens e laboratório.

O local, que possui 2.400,70 m² de área construída, tem suas obras executadas pela empresa Teto Construtora S.A, vendedora no processo de licitação.

Acompanharam Edinho na vistoria as secretárias Amanda Vizoná (Planejamento e Participação Popular), Anna Padilha (Obras e Serviços Públicos) e Juliana Agatte (Gestão e Finanças), coordenadoras da Secretaria de Saúde, a diretora-executiva da Fungota, Lúcia Ortiz, e outras diretoras da fundação.