Home Destaques

Família fala com o IML e descarta ser de Kelly o corpo enterrado em quintal

Nesta terça-feira, ouvida pelo RCIA – a mãe de Kelly, dona Solange, contou que a família entrou em contato com o IML de São Carlos para ver se as características da filha são as mesmas de outra moça encontrada numa vala em um jardim.

643
Kelli, continua desaparecida

Em contato com a reportagem do RCIA ARARAQUARA nesta terça-feira (08), familiares de Kelli Santos, 22, descartaram a possibilidade de ser ela a jovem enterrada no quintal de uma casa no bairro Cidade Aracy II, em São Carlos. Ontem (segunda-feira) a família esteve em contato com o Instituto Médico Legal (IML) de São Carlos.

“Eles disseram que a moça encontrada em uma vala no quintal de uma casa em São Carlos tem uma tatuagem no braço; a Kelly tem várias tatuagens e uma delas, feita mais recentemente, é no tórax”, disse a mãe, apreensiva com o desaparecimento da filha. Segundo a mulher hoje faz 11 dias que Kelly sumiu.

A busca por Kelly tem sido incansável, diz a mãe. Mesmo com a mobilização de colegas, pelas redes sociais, além do acompanhamento da Polícia Militar, nenhuma informação consistente foi passada. “Estamos desesperados e não sabemos mais a quem recorrer”, assegurou.

Onze dias atrás Kelly disse para sua mãe que sairia para dar umas voltas, mas que logo voltaria. Como ela não retornou dona Solange iniciou uma busca por todos os cantos e um lugar que Kelly poderia ter se dirigido seria o pai que reside em Minas Gerais e com quem ela morou por três meses, mas ela não apareceu por lá.

Esta jovem que não tem o Ensino Fundamental completo, cursou até o início do oitavo ano; na época, já vinha apresentando alguns problemas comportamentais, e até já tentou contra a própria vida, tomando a iniciativa de cortar os pulsos.

Dona Solange vinha notando que a filha se mantinha muito calada ultimamente e isso lhe dava preocupação. A jovem chegou a morar por quase um ano com um ex-namorado e que depois da separação deixava transparecer que poderia ser acometida de uma depressão. Alguns conselhos foram dados para que buscasse se internar, mas isso não ocorreu.

Num jardim dois corpos foram encontrados em valas separadas

O encontro de – um homem e uma mulher – enterrados em valas separadas no dia 04 de março em São Carlos chamou a atenção da família. Eles teriam sido mortos pelo menos quatro dias antes da localização dos corpos. O rapaz foi identificado na manhã de sábado (05) como sendo Luís Fernando Pereira  Luna, de 24 anos, conhecido como “Tato”, que estava desaparecido há três dias.

Segundo boletim de ocorrência os dois teriam sido mortos ainda dentro de um dos cômodos da casa abandonada no Cidade Aracy II. O localm é freqüentado por usuários de entorpecentes e lá os policiais encontraram grande quantidade de sangue e no quintal perceberam que a terra estava remexida. Eles pediram apoio ao Corpo de Bombeiros que realizou a escavação do local e encontrou dois corpos – a princípio do sexo masculino e feminino.