Início Destaques

PF cumpre mandados por tráfico de armas em Araraquara

Operação Mercado das Armas cumpre 25 mandados em vários estados, onde as armas de fogo eram importadas do Paraguai

177
Cerca de 130 policiais federais estão cumprindo 25 mandados de busca apreensão e um mandado de prisão preventiva (Foto: Ascom PF/SE)

Policiais federais fazem hoje (29) uma operação contra o tráfico internacional de armas e acessórios. A Operação Mercado das Armas cumpre um mandado de prisão preventiva e 25 mandados de busca e apreensão em oito estados brasileiros: Paraná, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe.

Mandados de busca e apreensão:

• Ceará (2 Fortaleza);
• Espírito Santo (2 Cariacica);
• Minas Gerais (4 Belo Horizonte);
• Paraná (2 São José dos Pinhais, 1 Foz do Iguaçu, 1 Santa Terezinha de Itaipu, 2 Guaratuba);
• Rio de Janeiro (3 Rio de Janeiro);
• Rio Grande do Sul (1 Caxias do Sul);
• São Paulo (2 Araraquara, 1 Cabreúva, 1 Campinas, 2 Várzea Paulista)
• Sergipe (1 Aracaju).

Mandado de prisão preventiva:

• Minas Gerais (1 Brumadinho).A operação foi desencadeada depois que investigações da Polícia Federal identificaram a atuação de um grupo criminoso na importação, transporte e remessa de armas de fogo e acessórios a vários estados brasileiros.

As armas de fogo eram importadas do Paraguai, com a ajuda de atravessadores, e transportadas, por correios ou transportadoras privadas, para seus destinos no Brasil escondidas dentro de equipamentos, como rádios, climatizadores e panelas elétricas.

“Um dos acessórios importados do Paraguai e comercializado pelos investigados é o denominado Kit Roni que, em um de seus modelos para uso exclusivo com pistolas de airsoft, era transformado para uso com armas de fogo e munições reais, tornando o equipamento em uma espécie de submetralhadora, podendo-se utilizar carregadores estendidos e seletores de rajadas. A importação desse acessório era realizada de forma ilegal, sem os certificados necessários e vendidos por plataformas virtuais sem o fornecimento de notas fiscais”, informa nota divulgada pela Polícia Federal.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de tráfico internacional de armas de fogo e acessórios, associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e lavagem de dinheiro.