Início Agronegócio

Preocupada, Motuca prepara profissionais para prevenção e combate aos focos de incêndio no município

Sem unidade do Corpo de Bombeiros no município e dependendo de localidades próximas para o enfrentamento dos focos a Prefeitura Municipal recorre ao Senar e ao Sindicato Rural para a formação de profissionais em um primeiro combate ao incêndio.

40
Curso ofereceu ensinamentos básicos para atuação no primeiro combate

Já foi aberta em janeiro a grade de cursos realizados pelo Senar SP, contando em Araraquara, com o apoio do Sindicato Rural de. Todas as ações de aprendizado em nossa região estão sob a coordenação do engenheiro agrônomo João Henrique de Souza Freitas que responde pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, nesta área.

“Cada ano que passa aumenta a nossa responsabilidade, pois a partir do momento que os cursos são difundidos, cresce o número de empresas interessadas em capacitar os seus trabalhadores rurais”, afirmou na semana passada João Henrique, ao promover a abertura do programa Incêndio, Prevenção e Combate no Campo em Motuca.

Segundo ele, ainda que a pandemia esteja cumprindo seu ritmo, o número de cursos em 2021 surpreendeu, pois demonstra o quanto as empresas estão interessadas em cumprir a legislação e ampliar a faixa de conhecimentos técnicos dos seus funcionários. “A verdade é que o campo não para”, completou o coordenador.

Aulas teóricas dadas pelo instrutor Henry, do Senar

Como logo após o período das chuvas vem a estiagem, as empresas, principalmente usinas e prefeituras, já se antecipam com cursos sobre prevenção e combate a incêndio, como aconteceu na primeira quinzena de janeiro (17 a 20) em Motuca, onde foram explicados técnicas e procedimentos. Paralelamente, durante o combate há o temor pelo aparecimento e ataque dos animais peçonhentos.

Para o coordenador regional do Senar o número de focos de incêndios tem aumentado ano após ano e é imprescindível que as empresas se voltem para a importância do primeiro combate e os colaboradores de cada uma delas utilizem equipamentos adequados e tenham noções sobre os procedimentos a serem adotados em casos de acidentes, tais como – quedas, queimaduras, intoxicações por fumaça e ataques de animais peçonhentos.

Outra explicação dada pelo coordenador está relacionada aos cuidados com a preservação do meio ambiente e conseqüências diretas e indiretas nos aspectos físicos, sociais e econômicos do homem do campo.

Momento da aula prática em que os alunos começam a ser preparados para o primeiro combate

Já o instrutor Henry Lopes disse que “os incêndios podem ser de origem natural, como os causados por raios e aumento da temperatura global, porém são mínimos: “O homem é o principal agente causador de incêndios, pois na maioria das vezes são iniciados por algum tipo de atividade humana. Podem origem acidentel, como os causados por bitucas de cigarros às margens das rodovias e queda de balões, ou ter origem criminosa”, comentou.

Na explanação feita aos alunos, Henry Lopes salientou que a prevenção e combate são fundamentais, visto que tem ocorrido grande incidência de incêndios em matas e propriedades rurais, ocasionando enormes danos à vida, ao meio ambiente e ao patrimônio.

A PREOCUPAÇÃO DO MUNICÍPIO

Em Motuca, disse o instrutor, o curso era de extrema necessidade por não existir no município unidades do Corpo de Bombeiro e com isso foi importante o papel da Prefeitura Municipal apoiar a iniciativa já que foram formados grupos em condições de atuar na prevenção e no primeiro combate: “os programas capacitam o participante a atuar em áreas do município com o máximo de segurança para que não aconteçam acidentes e a degradação e o desequilíbrio do meio ambiente.”

No encerramento do curso, Henry Lopes agradeceu a todos e disse que “os cursos que o Senar SP oferece é de grande valia para a sociedade, pois constrói cidadãos com responsabilidade, respeito e amor às pessoas e ao nosso planeta”.