Início Destaques

Procon fiscaliza supermercados para verificar aumentos injustificados nos preços de alimentos

Em Araraquara além dos preços, a entidade verifica também validade, entre outros itens, atendendo assim as denuncias que recebe

28
O Procon-SP disponibiliza canais de atendimento à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores

De acordo com o Coordenador do Procon Araraquara, Rodrigo Martins, a entidade vem realizando várias fiscalizações em supermercados da cidade, para atender as denúncias que chegam através  de seus canais.

Quando é constatado o aumento injustificado dos itens da cesta básica, o estabelecimento tem o prazo de uma semana para apresentar a nota fiscal, pois empresas que praticarem preços abusivos responderá a processo administrativo.

Ainda de acordo com Martins o levantamento final das fiscalizações realizadas pelo Procon de Araraquara deve ser divulgada na próxima semana.

PROCON-SP NOTIFICA 284 ESTABELECIMENTOS

Equipes do Procon-SP notificaram até o dia 21 de setembro 284 estabelecimentos a apresentarem notas fiscais de compra e venda de itens da cesta básica na operação de enfrentamento ao aumento injustificado de preços.

A operação iniciou dia 14 de setembro em todo o Estado principalmente com foco nos itens: arroz (pacote de 5 kg), óleo de soja (embalagem de 900 ml) e carnes vermelhas (patinho, coxão mole, coxão duro e contrafilé). O objetivo é coibir abusos e garantir à população o acesso aos produtos da cesta básica.

Na capital, os maiores preços encontrados no arroz tipo 1 (pacote de 5 kg): R﹩ 27,90; no óleo de soja (900 ml): R﹩ 7,73; no patinho (kg): R﹩ 47,69; no coxão mole (kg): R﹩ 55,61; no coxão duro (Kg): R﹩ 53,11 e no contrafilé (Kg): R﹩ 64,99.

Agentes que atuam no interior já estiveram nas cidades de Americana, Araçatuba, Assis, Avaré, Bebedouro, Birigui, Botucatu, Buritama, Campinas, Capivari, Diadema, Getulina, Guaratinguetá, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itu, Jaú, Mirandópolis, Nova Odessa, Porto Feliz, Ribeirão Pires, Ribeirão Preto, Santa Bárbara D’Oeste, Santa Cruz do Rio Pardo, Santa Fé do Sul, Santos, São Joaquim da Barra, São José do Rio Preto, São Manuel, Valinhos e Valparaíso. Os maiores preços foram: R﹩ 34,90 no arroz tipo 1 (pacote de 5 kg); R﹩ 8,59 no óleo de soja (900 ml).

COMO DENUNCIAR

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimento à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.