Início Destaques

Projeto do vereador Paulo Landim homenageia o comerciante Pedro Salmazo

Projeto apresentado para aprovação na Câmara Municipal dará o nome de um conceituado comerciante ao dispositivo viário em frente ao Parque Residencial Damha.

250
Rotatória levará o nome de Pedro Salmazo

“Fica denominado Pedro Salmazo o dispositivo viário deste município localizado na Avenida Deputado Federal Mário Eugênio, em frente à portaria social do loteamento Parque Residencial Damha.” Reconhecendo os méritos de um antigo comerciante é que a Câmara Municipal inicia seus trabalhos no ano de 2021 com o primeiro projeto de lei, de autoria do vereador Paulo Landim (PT), que diz ter escolhido a dedo seu homenageado.

 “Seo Pedro Salmazo, faz parte de minha história, quando cheguei a Araraquara, fui trabalhar na Mercúrio, cujo dono era ele, eu carregava cofre, montava estante de aço. Ele sempre gostou de ajudar as pessoas, e este foi um dos primeiros empregos que tive. Seo Pedro era fantástico, amava a Ferroviária, assistia até mesmo os treinos do time e hoje tem seu filho Carlos Salmazo como presidente do clube. Ele era um homem a frente do seu tempo, montou a Mercúrio em uma época onde não existia computador. Ele era o homem que consertava as máquinas de escrever, hoje a empresa que tem mais de 50 anos, não pertence mais a família, mas continua sólida. Acredito que a homenagem é muito justa, a um homem simples, trabalhador que gostava de jogar bocha, amava a Ferroviária e que marcou minha vida pela sua serenidade”, ressaltou Landim,

Pedro trabalhando na oficina da Mercúrio

UM POUCO DA HISTÓRIA DE PEDRO SALMAZO

Pedro Salmazo nasceu em Araraquara no dia 26 de junho de 1932. Era um dos seis filhos do casal João Salmazo, ferroviário (funcionário da Companhia Paulista de Estradas de Ferro) e Amélia Chovarte Salmazo.

Pedro, juntamente com seus pais e irmãos: Solange Salmazo Pierini (in memoriam), Doraci Salmazo Peichinin, Jurandir Salmazo (in memoriam), Wanderlei Salmazo, Sirlei Salmazo (in memoriam) e Sônia Salmazo Ramello (in memoriam), moraram na Colônia Paulista (em frente à Atlética Ferroviária) e Vila Furlã em Araraquara.

Ele estudou no Grupo Escolar Carlos Batista Magalhães e começou a trabalhar muito cedo, como engraxate. Foi também atendente no bar da antiga estação ferroviária de Araraquara e vendedor na Loja de Calçados Levi.

Em 1952, aos 20 anos de idade, passou a trabalhar na Loja e Oficina Mercúrio, quando então iniciou seu ofício de técnico em máquinas de escrever, na época ramo comercial da loja.

No ano de 1956, durante uma viagem a cidade de Rio Claro, na companhia do amigo Furquim de Castro, que na época era fotógrafo na cidade, conheceu Norma Furquim de Castro, com quem se casou dois anos depois.

O casamento foi realizado em Rio Claro, em 1º de fevereiro de 1958. Norma Furquim de Castro passou então a se chamar então Norma de Castro Salmazo. Em 20/06/1959, nasceu na cidade de Araraquara, Carlos Alberto Salmazo, o primeiro filho do casal.

Carlos é casado com Ada Maria Matheus Salmazo, ambos engenheiros. O casal tem dois filhos, Pedro (publicitário) e Carla (cirurgiã dentista). No dia 09/03/1962, nasceu em Araraquara, Marta Maria Salmazo, professora, mãe de Vitor Salmazo (formado em publicidade e estudante de mestrado).

Em 05/07/1967, Pedro e Norma tiveram seu terceiro filho, Cláudio Antônio Salmazo (bancário), casado com Mônica Regina Iani Salmazo (comerciante). Tiveram como filho Lucas Iani Salmazo (advogado).

Já em 1964, Natallino Solci, então proprietário da Loja e Oficina Mercúrio, transferiu o negócio para Pedro Salmazo, que, quando tornou-se empresário, ampliou as atividades do estabelecimento. Além das atividades relacionadas ao comércio e manutenção de máquinas de escrever e calcular empreendeu com produtos da Filizola, como balanças comerciais de precisão.

No ano de 1967, Pedro Salmazo convidou Luiz Belotti para sócio da empresa, e após firmada a sociedade, a Mercúrio, ampliou ainda mais sua gama de produtos, oferecendo ao mercado toda sorte de soluções para escritórios, tais como móveis planejados, copiadoras, entre outros.

A Mercúrio então, tornou-se referência no mercado de Araraquara e região, com frota própria de veículos para visitas comerciais e utilitários para entregas. Com a expansão dos negócios a empresa mudou-se do prédio de origem que ficava na Avenida São Paulo, entre ruas 2 e 3, para um prédio mais amplo na Rua Nove de Julho, esquina com Avenida Brasil, para melhor atender sua grande clientela.

Adquiriu também outro prédio na Rua Padre Duarte, esquina com a Avenida Antonio de Pádua Correa, no bairro de São José, onde mantinha uma extensa área para depósito dos produtos e ainda oficina de manutenção da própria frota de veículos.

A Mercúrio foi geradora de muitos empregos ao longo de anos: pessoal técnico, comercial e administrativo. Pedro sempre foi referência para todos eles, por sua seriedade, caráter, honestidade e reconhecimento.

Pedro Salmazo, merecidamente homenageado pela sua contribuição no desenvolvimento do comércio local

Pedro Salmazo manteve-se como sócio-proprietário da Mercúrio até 1986, quando se aposentou. Conquistou uma legião de amigos e admiradores pela simplicidade e lealdade com que tratava a todos. Gostava de jogar bocha. Após a aposentadoria, praticava sempre o esporte.

Torcedor fanático da Ferroviária, foi sócio do clube e proprietário de cadeira cativa. Não perdia um único jogo. Pedro Salmazo deixou para sua esposa, filhos, noras, netos, familiares e amigos, através de suas palavras e ações, um legado de amizade, solidariedade, honestidade e respeito ao próximo. Era uma pessoa que possuía sua vida pautada em princípios religiosos e éticos. Sua maior preocupação sempre foi o bem-estar de sua esposa, filhos, noras e netos. Faleceu no dia 09 de fevereiro de 2015, deixando até hoje muitas saudades.