Início Agronegócio

Rota do Ciclista está mais atrativa com a gastronomia caipira

Com a fartura de comidas, doces e salgados produzidos no campo, além de peças de artesanato, a Rota do Ciclista por onde os "baikeiros" passam por conta das pedaladas está cheia de novidades. O Turismo Rural chega de vez nesta região mostrando o jeito caipira na gastronomia e na arte.

520
Presidente do Sindicato Rural Nicolau de Souza Freitas e os pratos que estão na Rota do Ciclista

“Estou envaidecido em participar de um evento desta natureza e saber a importância que o Sindicato Rural de Araraquara e o Senar têm na vida destas pessoas”, disse o presidente Nicolau de Souza Freitas, tão logo chegou na Rota do Ciclista, localizada no no Assentamento Monte Alegre 6, município de Araraquara, no dia 27 de novembro, no período da manhã.

O dirigente não escondia sua satisfação em acompanhar a euforia dos produtores rurais que naquele momento participavam do Festival Cultural Gastronômico Monte Alegre Turismo Rural, em Araraquara, afinal o projeto de capacitação dos – agora empreendedores – foi administrado pelo sindicato.

Coordenador da Regional Norte Amarildo Fernandes e a analista Maria Helena Martins

Com o encerramento do programa os participantes se organizaram para a venda de de artesanato e produtos produzidos nos sítios. Estava inserido ainda na cerimônia de encerramento do curso, um delicioso almoço rural, tudo feito pelos participantes com produtos locais.

Ao Portal RCIA Araraquara a instrutora Ângela Nigro explicou que o festival estava fazendo parte da finalização do Programa de Turismo Rural “Agregando Valor à Propriedade” realizado pelo SENAR – SP, em parceria com o Sindicato Rural de Araraquara e apoio do ITESP.

Empreendedores que agora participam das atividades comerciais da Rota do Ciclista

Na verdade, disse a instrutora, o programa teve a duração de 10 meses e vem sendo realizado anualmente sempre com a presença de beneficiários dos assentamentos da região, tendo o objetivo de capacitar o homem do campo e promover o desenvolvimento turístico local.

Ângela lembrou que desde 2011, mais de 120 pessoas já receberam certificado a partir desta iniciativa, incluindo moradores dos Assentamentos de Bueno de Andrada, Monte Alegre e Bela Vista do Chibarro. “É uma forma de possibilitar a permanência do produtor rural, no campo, fortalecendo suas origens”, explicou.

Presentes no Festival, o presidente do Sindicato Rural, Nicolau de Freitas, o coordenador da Regional Norte Amarildo Fernandes e a analista Maria Helena Martins, que acompanharam os relatos de vida dos alunos; eles também sentiram o interesse destes empreendedores no desenvolvimento das atividades relacionadas ao Turismo Rural e permaneceram atentos as manifestações proferidas pelas alunas capacitadas durante o ano, pela instrutora Ângela Barbieri Nigro.

Coordenador da Regional Norte Amarildo Fernandes, a instrutora do Senar Ângela Nigro e o presidente do Sindicato Rural Nicolau de Souza Freitas

O programa deste ano teve inovação por parte dos participantes com a inclusão de novos pontos de apoio para o turista com diversificação dos produtos gastronômicos no contêiner Rota do Ciclista, abertura da lanchonete Ponto Z e a Marmitaria da Arca da Vovó.

O festival recebeu a visita ainda de empreendedores de Matão que trabalham com derivados de orapronóbis, elemento presente na temática do evento, sendo considerada uma planta comestível não convencional, mas que é apontada como uma planta nativa e abundante em solo brasileiro.