Home Destaques

Sepultada em Araraquara, Luzia Garitta, a empreendedora sempre além do seu tempo

O comércio de Araraquara perdeu nesta semana uma das suas mais autênticas embaixadoras; enraizada no processo de desenvolvimento da cidade, Luzia Garitta se transformou em uma personalidade empreendedora do centro-antigo da cidade e contribuiu com a continuidade dos negócios criados pelo marido Remolo.

217
Momentos marcantes na vida de uma mulher empreendedora

Faleceu, em Araraquara nesta quarta-feira (13) sendo sepultada ontem, a empresária Luzia Nucci Garitta, natural de Nova América, distrito de Itápolis, com 87 anos de idade. Filha de Francisco Nucci e Ida Furlan, nasceu numa família de onze irmãos, dos quais seis já falecidos.

Esta numerosa família, estabelecida em Araraquara, em muito contribuiu para a nossa cidade, nos mais variados campos de atuação, principalmente no setor econômico, participando ativamente do processo de desenvolvimento do município.

Remolo, Luzia e amigos no Carnaval do Clube 22 de Agosto, início dos anos 80

Luzia, era viúva de Remolo Garitta Filho, com quem teve três filhos: Leila Regina, Marcelo e Fábio Henrique, que lhe presentearam com três netas: Larissa, Júlia e Sofia.

Dona Luzia, como era carinhosamente identificada, trabalhou na Santa Casa de Araraquara, nos anos 50/60, depois instalou um ateliê de alta costura e, no final dos anos 80, conduziu, ao lado do “seu” Remo Garitta, a empresa familiar de jóias, relógios e ótica.

Luzia com os filhos, Marcelo, Leila Regina e Fábio Henrique, em 2016

Dinâmica, vibrante, e uma mulher com grande tino comercial, além do seu tempo pela visão empreendedora, Luzia reinventou a atividade, tradição dos irmãos Garitta, Reynaldo e Remolo,  que durante 50 anos mantiveram a loja “Joalheria Garitta” na Rua 9 de Julho.

Depois de alguns anos ela foi o cérebro comercial,  junto com seu marido Remolo Garitta Filho, um grande ourives e joalheiro,  da criação da nova empresa “Remo Garitta – Jóias, Relógios e Ótica” instalada há mais de trinta anos na Rua São Bento. Assim,  retomou a tradição familiar contribuindo com o engrandecimento do comércio araraquarense.

Luzia, com irmãs, irmão e a sobrinha Luciana, em 2015

Sua energia, sua vontade de servir o próximo, e seu desprendimento,   lhe conduziram à presidência do Lions Clube Fonte Luminosa, cargo que o “seu” Remo já tinha ocupado,  e à um cargo na Diretoria da ACIA (Associação Comercial e Industrial de Araraquara). Católica praticante motivou grupos de oração e frequentou a Igreja de Santa Cruz.

Alegre e festeira, na sua juventude frequentou o Clube 27 de Outubro, onde com seu namorado e depois marido Remolo, dançou e se divertiu. Posteriormente nos anos 70/80 organizou blocos de carnaval com amigos e parentes nos animados bailes do Clube 22 de Agosto.

As netas Larissa, Sofia e Júlia com a vovó Luzia, em 2018

Grande anfitriã, na sua casa nunca faltou motivo pra acolher amigos e proporcionar uma mesa farta e saborosa para todos.

Infelizmente a vida não é eterna, apenas sua história será eternizada, e após uma breve enfermidade veio à óbito.  Com grande acompanhamento de familiares e amigos foi sepultada no Cemitério São Bento de Araraquara.

Remolo e Luzia, Carnaval do Clube 22 de Agosto, em 1978: um grito de amor pela vida

A cidade se despede de Luzia de forma extremamente carinhosa, reconhecendo nela o papel de uma empreendedora conceituada em uma atividade que ela soube dignificar com muito comprometimento. Os sentimentos do RCIA ARARAQUARA aos seus familiares e amigos.

Quem conheceu a adorável Luzia sempre cheia de vida e com um sorriso em festa sabe o quanto era importante ser humilde no trato com as pessoas, preservando a felicidade incontida e mantendo o respeito que foi uma característica na construção de um mundo melhor para todos. Siga em paz, dona Luzia.