Início Destaques

Consumidor araraquarense deve priorizar o comércio eletrônico no Dia dos Pais

Pesquisa de Intenção de Consumo revela também que 65% dos entrevistados irão adquirir presentes este ano, mas comércio não terá horário estendido

61
O levantamento revelou que 65% dos entrevistados irão presentear os seus pais este ano, contra 15% que optaram por não presentear e 20% que ainda não haviam decidido

Celebrado no segundo domingo de agosto, o Dia dos Pais se caracteriza como um dos mais importantes eventos do segundo semestre no calendário do varejo nacional. Nesse período, os comerciantes intensificam suas estratégias de vendas, oferecem novas alternativas de compra e, atualmente, buscam amenizar as adversidades trazidas pela pandemia do novo coronavírus.

Dentre essas estratégias, as plataformas de negócios online são importantes aliadas, tanto para os lojistas, que buscam uma reaproximação com os clientes e a ampliação de seu faturamento, como para os consumidores, que pretendem presentear seus pais mesmo à distância, por conta do isolamento social.

É o que apontou a Pesquisa de Intenção de Consumo do Dia dos Pais de 2020, promovida pelo Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara. Aplicada por meio de questionário online, o estudo obteve participação de 55 consumidores, dos quais 56% são do gênero feminino, 42% do gênero masculino e 2% se declararam como pertencentes ao gênero não binário.

O levantamento revelou que 65% dos entrevistados irão presentear os seus pais este ano, contra 15% que optaram por não presentear e 20% que ainda não haviam decidido, na data da entrevista. Dentre os que irão às compras, 40% devem optar pelo varejo online, 38% pelo comércio de rua e 20% por shoppings centers. Em último lugar estão os supermercados, com 2%.

Segmentações da distribuição amostral – Pesquisa de Intenção de Consumo

Fonte/Elaboração: Sincomercio Araraquara

Perguntados sobre o tipo de presente escolhido este ano, 61% daqueles que pretendem comprar algo manifestaram preferência pelo setor de vestuário e calçados, 13% por bebidas, incluindo cafés e utensílios, 11% por eletrônicos e eletrodomésticos e outros 11% pelos perfumes e outros produtos de beleza. Outros 4% declararam que vão optar por artigos automotivos.

A pesquisa apontou também que o valor gasto por pessoa deve ser, em média, R$ 182,55. No entanto, a mediana das respostas (valor central da amostra) ficou em R$ 100,00. “Essa diferença revela que o valor médio sofreu distorções por um grupo de respostas muito elevadas ou muito baixas e, portanto, a mediana pode ser considerada como uma representação melhor do ticket médio desse ano”, avalia João Delarissa, pesquisador do Sincomercio.

Ainda em relação ao dispêndio esperado, a maior parte dos consumidores, 47%, pretende desembolsar entre R$ 50 e R$ 100; 28% programaram gastar de R$ 100 a R$ 200; 11% devem gastar até R$ 50 e a mesma porcentagem de consumidores pretendem investir entre R$ 200 e R$ 300. Outros 3% deverão comprar R$ 300 ou mais em presentes.

Categorizando o gasto médio dos entrevistados por classe social, o valor desembolsado pela classe baixa deve ser de aproximadamente R$ 132; já para classe média, as compras devem custar cerca de R$ 233; e a classe alta deve gastar, em média, R$ 128. Em relação à forma de pagamento, 83% farão suas compras na modalidade à vista, enquanto 27% pretendem parcelar os gastos.

Por fim, quando interrogados sobre quais são ações mais valorizadas pelos clientes araraquarenses durante a experiência de compra 64% afirmaram que o preço e as promoções estão em primeiro lugar. A qualidade no atendimento é a característica mais importante para 17% dos entrevistados e outros 14% valorizam a variedade de marcas e de produtos. Por fim, 5% consideram como mais importante as facilidades no pagamento.

Sem horário estendido

Em decorrência das medidas restritivas de funcionamento, o comércio em Araraquara não fará horário estendido de atendimento na semana que antecede o Dia dos Pais. Conforme estabelecido pelo Decreto Municipal nº 12.328/2020, os clientes poderão fazer suas compras na modalidade presencial de segunda a sábado, das 10h às 16h.

Metodologia – A classificação por classe de renda considera a faixa salarial declarada pelos entrevistados. Assim, aqueles que têm rendimento de até um salário mínimo (R$ 1.045,00) foram enquadrados na classe baixa. Os que recebem entre um e cinco salários mínimos (R$ 1.045,00 a R$ 5.225,00) conformam a classe média, e acima de cinco salários mínimos estão os integrantes da classe alta.