Home Economia

Rodovias da EcoNoroeste na região de Araraquara implantam sistema Free Flow

SP-333, entre Itápolis e Jaboticabal, será a primeira rodovia administrada pela concessionária a receber a tecnologia

1
Rodovias na região de Araraquara vão adotar o sistema no segundo semestre deste ano

No início do segundo semestre de 2024, os veículos que passarem pela SP-333 (Rodovia Carlos Tonani, Nemésio Cadetti e Laurentino Mascari), no trecho entre Itápolis a Jaboticabal, pagarão o pedágio pelo modelo de cobrança conhecido como Free Flow. A implantação do sistema faz parte do contrato firmado pela EcoNoroeste com o Governo do Estado de São Paulo e a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP), que prevê a substituição de todas as praças de pedágio dessa concessão por pórticos de cobrança.

Pelo contrato, a implantação será gradual até o 7º ano da concessão. Essas duas primeiras praças poderiam ser substituídas até 2025, porém, a EcoNoroeste iniciará a operação antecipadamente. “Será o primeiro Free Flow em operação efetiva entre as concessionárias da EcoRodovias. Como o grupo sempre buscou antecipar tendências, já tínhamos feito alguns testes que exigiram toda a estruturação desse tipo de projeto, desde a aquisição de equipamentos até a operação de forma experimental. Essa cultura do grupo viabilizou a antecipação do nosso compromisso aqui na SP-333”, explica o diretor Geral da EcoNoroeste, Rui Klein.

O sistema Free Flow traz mais segurança, fluidez e conforto para os usuários, já que a cobrança da tarifa é realizada por meio de pórticos, que substituem os pedágios convencionais, equipados com câmeras, sensores e antenas capazes de identificar todos os tipos de veículos pela placa ou TAG, além de especificações como altura, largura, comprimento e quantidade de eixos.

Os usuários do trecho que já possuem TAGs ativas não precisam se preocupar. O veículo será identificado nos pórticos, automaticamente, da mesma forma que acontece nas pistas automáticas das cabines atuais. Já os que ainda não utilizam esse serviço deverão fazer o pagamento em até 15 dias após a passagem pelo pórtico em um dos canais disponibilizados pela EcoNoroeste, como site (freeflow.econoroeste.com.br), aplicativo de celular, totem de autoatendimento nos postos SAUs das rodovias ou pelo WhatsApp (0800 326 3663). A falta de pagamento no prazo pode acarretar multa e perda de cinco pontos na carteira de habilitação.

Como funciona a tecnologia

Os pórticos possuem câmeras, sensores e antenas que identificam cada veículo por meio da leitura de sua placa ou TAG, operando, inclusive, em condições de baixa visibilidade. Essa tecnologia é capaz de identificar os veículos e os categorizar conforme a altura, largura, comprimento e quantidade de eixos rodantes, para fazer a dupla checagem com as placas e TAGs identificados.

Como é feita a cobrança

Para os veículos com TAG, o valor é cobrado, automaticamente, pela operadora contratada. Já aqueles que não possuem, precisam efetuar o pagamento em até 15 dias nos canais disponibilizados pela concessionária.

Quais praças de pedágio passarão a ser Free Flow no início do segundo semestre de 2024?

Serão duas praças da SP- 333 (Rodovia Carlos Tonani, Nemésio Cadetti e Laurentino Mascari): em Itápolis, quilômetro 179, no sentido Leste, e em Jaboticabal, quilômetro 110, no sentido Oeste.

Quais as vantagens do Free Flow?

Um dos maiores benefícios do Free Flow é a economia de tempo. Os motoristas não precisam parar nem diminuir a velocidade ao passar pela praça de pedágio. Isso reduz o tempo gasto para o pagamento, especialmente em épocas como férias escolares e feriados, tornando as viagens mais rápidas e mais eficientes.

Conveniência e benefícios tarifários

Com pedágios Free Flow não é necessário manter dinheiro trocado ou parar para efetuar o pagamento, além de contar, também, com os descontos tarifários oferecidos aos usuários de TAG. O DUF (Desconto de Usuário Frequente) contempla apenas veículos de passeio (automóvel, caminhonete e furgão, automóvel e caminhonete com semirreboque, automóvel e caminhonete com reboque). O DBT (Desconto Básico de Tarifa, para veículos pesados), benefício que oferece 5% de desconto a todas as categorias de veículos, independente da quantidade de viagens realizadas.

Mais segurança

Eliminar a necessidade de parar em praças de pedágio e de mudanças de faixa contribui para a segurança nas estradas. Menos paradas significam menos riscos de colisões traseiras e uma experiência de condução mais segura.

Sustentabilidade

O modelo Free Flow também tem impacto positivo no meio ambiente. A eliminação das paradas e da marcha lenta dos veículos nas praças de cobrança diminui as emissões de poluentes, contribuindo para o meio ambiente. É menos combustível consumido e, consequentemente, menos gases lançados na atmosfera.

Transformação digital

A Econoroeste é cenário de uma série de mudanças positivas em transformação digital nas rodovias do interior de São Paulo. Só no 1º ano de concessão, já foram entregues 443 novas câmeras de monitoramento de alta tecnologia, 57 novos SATs (Sistemas de Análise de Tráfego), sistema de conectividade grátis aos usuários, 10 novos painéis de mensagens e todas as praças de pedágio aceitam cartão de crédito ou débito por aproximação.

Um dos maiores benefícios do Free Flow é a economia de tempo. Os motoristas não precisam parar nem diminuir a velocidade ao passar pela praça de pedágio. Isso reduz o tempo gasto para o pagamento, especialmente em épocas como férias escolares e feriados, tornando as viagens mais rápidas e mais eficientes.

Conveniência e benefícios tarifários

Com pedágios Free Flow não é necessário manter dinheiro trocado ou parar para efetuar o pagamento, além de contar, também, com os descontos tarifários oferecidos aos usuários de TAG. O DUF (Desconto de Usuário Frequente) contempla apenas veículos de passeio (automóvel, caminhonete e furgão, automóvel e caminhonete com semirreboque, automóvel e caminhonete com reboque). O DBT (Desconto Básico de Tarifa, para veículos pesados), benefício que oferece 5% de desconto a todas as categorias de veículos, independente da quantidade de viagens realizadas.

Mais segurança

Eliminar a necessidade de parar em praças de pedágio e de mudanças de faixa contribui para a segurança nas estradas. Menos paradas significam menos riscos de colisões traseiras e uma experiência de condução mais segura.

Sustentabilidade

O modelo Free Flow também tem impacto positivo no meio ambiente. A eliminação das paradas e da marcha lenta dos veículos nas praças de cobrança diminui as emissões de poluentes, contribuindo para o meio ambiente. É menos combustível consumido e, consequentemente, menos gases lançados na atmosfera.

Transformação digital

A Econoroeste é cenário de uma série de mudanças positivas em transformação digital nas rodovias do interior de São Paulo. Só no 1º ano de concessão, já foram entregues 443 novas câmeras de monitoramento de alta tecnologia, 57 novos SATs (Sistemas de Análise de Tráfego), sistema de conectividade grátis aos usuários, 10 novos painéis de mensagens e todas as praças de pedágio aceitam cartão de crédito ou débito por aproximação.