Início Destaques

Sociedade se mobiliza pelo Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares

Segundo o Governo Federal, está prevista a implementação de 216 colégios até 2023 – 54 por ano, dois por Estado, a começar por 2020.

246
Enquete do RCI leva grupo a conversar com vereadores para implantação da escola em Araraquara

O presidente da Câmara Municipal de Araraquara, vereador Tenente Santana (MDB) e o vereador Elias Chediek (MDB) se reuniram na tarde desta quinta-feira (26), no gabinete da presidência, com representantes da sociedade civil, que buscavam tratar da possibilidade da realização de Audiência Pública sobre o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares.

Segundo o Governo Federal, está prevista a implementação de 216 colégios até 2023 – 54 por ano, dois por Estado, a começar por 2020. Nesse modelo, de acordo com o MEC, os militares atuarão na disciplina dos alunos, no fortalecimento de valores éticos e morais, na área administrativa, no aprimoramento da infraestrutura e na organização da escola e dos estudantes. As questões didático-pedagógicas continuarão sendo atribuições exclusivas dos docentes.

Os visitantes têm a intenção de realizar Audiência Pública para ouvir a população sobre o caso, uma vez que o Portal RCI, por meio de uma enquete virtual, apontou que 83% dos participantes são favoráveis e 17% contrários. “Temos que saber o posicionamento do povo, mas, tem que ser pela oportunidade de investimento no ensino”, afirmaram.

Como existe a necessidade de um aceite por parte do Poder Executivo, Santana sugeriu que, antes de quaisquer movimentos, é preciso uma conversa com o prefeito municipal, no que todos concordaram.

“Apesar de a possibilidade de Araraquara conseguir entrar no programa ser pequena, em virtude do elevado número de Municípios interessados, os 13 vereadores que assinaram moção de apoio ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares aqui na Câmara, devem entregar em mãos ao chefe do Executivo, o mais breve possível, os dados desse levantamento feito pelo portal, para que ele estude a situação”, enfatizou Santana.

Participaram da reunião Joseane Cristina Pachiega, Theodoro Bratfisch, Gabriel Osório, Rafael Cybis e Suzelaine Pedroni.