Início Destaques

Unesp inaugura em Araraquara exposição virtual “Um quimiscritor no museu”

Covid-19 acelerou projeto de criar um ambiente virtual para exposição sobre Primo Levi

33
Oriundo de família judaica, foi preso e levado ao campo de concentração de Auschwitz, onde foi prisioneiro durante o final da 2ª Guerra Mundial

A exposição “Um quimiscritor no museu: ciência, literatura e direitos humanos com Primo Levi”, inaugurada em outubro de 2019 no Centro de Ciências de Araraquara, acaba de ganhar um novo formato. É a primeira exposição no formato digital do CCA, que há 30 anos exerce o compromisso de divulgar a ciência para o público escolar e a comunidade de Araraquara e região.

Ter o ambiente virtual fazia parte do projeto inicial da exposição e ganhou forma após a pandemia do novo coronavírus e as regras de distanciamento social. Essa ação soma-se a outras que vêm sendo realizadas por algumas instituições brasileiras, por exemplo, o Ciência na Quarentena organizado pela Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciências (ABCMC), que divulga atividades online sobre ciência, além de convidar o público a conhecer mais sobre os museus de ciências do Brasil. Enquanto seguimos reclusos, a exposição virtual “Um quimiscritor no museu” é a mais nova estratégia de conexão com o público, divulgando os temas da química, da literatura e dos direitos humanos por meio da obra do químico e escritor italiano Primo Levi (1919-1987).

Levi desde pequeno se interessava pelas ciências da natureza e o universo da literatura, e aos 16 anos escolheu cursar Química na Universidade de Turim, Itália. Oriundo de família judaica, foi preso e levado ao campo de concentração de Auschwitz, onde foi prisioneiro durante o final da 2ª Guerra Mundial. Nesse processo de desumanização que os judeus foram submetidos, Primo Levi conseguiu sobreviver e encontrou na escrita a maneira de contar a todos como foi presenciar o maior genocídio mundial. Suas histórias de prisioneiro são descritas por meio de relações intrínsecas com a química de maneira analítica, racional e humanística.

A equipe responsável, coordenada pela professora Luciana Massi, do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Letras (Unesp, câmpus Araraquara), escolheu como data simbólica para o lançamento do site o dia 31 de julho, dia do nascimento de Primo Levi. O ambiente virtual da exposição é composto por seis seções com textos, vídeos, áudios e imagens que retratam a biografia de Primo Levi, suas principais obras, sua relação com a química e com a literatura, a vivência em Auschwitz e uma Tabela Periódica Interativa, inspirada no seu livro A Tabela Periódica.

O projeto é mais uma ação vinculada à exposição física, com o objetivo de ampliar a divulgação da ciência, da literatura e dos direitos humanos, possibilitando novas experiências. Convidamos a todos e a todas para aproveitar essa exposição que estará sempre de portas abertas, todos os dias da semana e a qualquer horário.