Início Esporte

Morre, aos 63 anos, Vadão, ex-técnico da Seleção Brasileira Feminina

Com forte história no interior paulista, treinador teve complicações com um câncer no fígado e não resistiu

53
Crédito: Reprodução / CBF

Morreu na tarde desta segunda-feira, aos 63 anos, Oswaldo Fumeiro Alvarez, mais conhecido como Vadão, por complicações de um câncer localizado no fígado e estava internado na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O seu corpo será sepultado em Monte Azul Paulista, sua terra natal.

O então treinador comandou recentemente a Seleção Brasileira Feminina de futebol, disputando a última Copa do Mundo, realizada ano passado, na França, levando a equipe até às oitavas de final, caindo para as donas da casa.

Respeitado no interior de São Paulo, Vadão possui história forte com Guarani e Ponte Preta, ambos da cidade de Campinas, mas marcou seu nome comandando o Mogi Mirim no começo dos anos 90, equipe que ficou conhecida como “Carrossel Caipira”.

Em 2000, teve curta passagem pela equipe do Corinthians e, no ano seguinte, conquistou pelo rival São Paulo o Torneio Rio-São Paulo, onde promoveu a estreia de Kaká na equipe profissional.

Vadão passou também por outras equipes do futebol brasileiro e internacional, como XV de Piracicaba, Matonense, Atlético-PR, Bahia, Tokyo Verdy-JAP, Vitória, São Caetano, Portuguesa, Sport e Criciúma.

Entre 2014 e 16, e 2017 e 19, esteve no comando da Seleção Brasileira Feminina, participando da Copa do Mundo de 2015 e 19, Copa América 2014 e 18, dos Jogos Olímpicos Rio-2016 e Pan-Americano 2015, além de outros torneios internacionais.