Home Destaques

Após oito anos, Carlos Salmazo deixa a presidência da Ferroviária

Mais longevo presidente da história do clube-empresa, ele deixa um legado de reconstrução, títulos e marcas expressivas

339
Crédito: Divulgação

No último dia 19, a Ferroviária SAF definiu a sua nova diretoria para o próximo biênio (conselho fiscal) e triênio (diretorial e conselho administrativo), e não terá mais Carlos Salmazo na presidência, o qual ficou a frente por oito anos, cinco meses e 17 dias do clube-empresa, o mais longevo na função desde então.

A “Era Salmazo” começou no dia 2 de agosto de 2014, foi quando ainda a Revista RCI o entrevistou pela primeira vez no início do seu primeiro mandato. Com o futebol feminino partindo para o seu segundo título nacional naquela época – antes havia conquistado a Copa do Brasil – a incumbência era de colocar o time masculino de volta aos trilhos, o qual tinha a parceria com o Athletico Paranaense como parte de sua sustentação e pegou logo de cara a disputa da Copa Paulista, mas que ficou pelo meio do caminho.

Mas, a principal mudança de patamar aconteceria justamente em 2015, menos de um ano na presidência. A Locomotiva encerrou o maldito tabu de 19 anos e retornou à primeira divisão do Campeonato Paulista com uma campanha exuberante na Paulista da Série A2: em 19 jogos, foram 14 vitórias, 3 empates e apenas duas derrotas, campeã legítima e uma das melhores campanhas feitas naquela divisão em toda a história.

Além disso, a equipe teria também o privilégio de retornar a disputa de um torneio nacional, a Copa do Brasil de 2016. A última vez havia acontecido em 2007, pelo mesmo torneio.

No mesmo ano do acesso, as Guerreiras Grenás colocariam o seu nome na história do futebol feminino, e também de Araraquara, com a conquista continental da Copa Libertadores da América, consolidando o que estava por vir na modalidade nos próximos anos.

Claro que entre boas campanhas, sempre existiam os tropeços, que fazem parte do futebol. O vislumbre no início de Paulistão 2016 nos trouxe um medo de um novo rebaixamento em seu final, mas a Ferroviária ficou.

Detalhe que, naquela temporada, a FPF alterou o formato de disputa e passaria adotar apenas 16 equipes na temporada seguinte, ou seja, seis clubes acabaram sendo rebaixados, permanecendo 14, com os outros dois vindos de acessos da Série A2.

No segundo semestre, o clube teve mais uma disputa de título em jogo, o da Copa Paulista, mas em uma grande final contra o XV de Piracicaba, a equipe ficou com o vice-campeonato, mas foi mais um troféu em sua galeria de títulos e uma vaga para a Copa do Brasil.

Em 2017, a diretoria passou por uma reformulação, no que seria um grande trampolim na administração do futebol masculino e feminino: chegaram ao clube Pedro Martins (CEO), Ana Lorena Marche (Coordenadora de Futebol Feminino) e Roberto Braga (Coordenador das Categorias de Base). Bruno Pessoti, que estava no clube em 2016, também fez parte deste cenário.

Carlos Salmazo ficou a frente do clube por oito anos – Crédito: Jonatan Dutra/Ferroviária SAF

Para se ter uma ideia da importância destes profissionais, hoje em dia, Martins, Braga e Pessoti trabalham no Cruzeiro, o qual se reestruturou após virar SAF e retornar para a Série A do Brasileirão, e Marche é a Supervisora de Futebol Feminino da CBF. Todos eles, ao lado de Salmazo, construíram um legado dentro do clube, o que fez fortalecer ainda mais as categorias.

Até por conta destas mudanças que aconteciam internamente, a equipe masculina não fez uma grande campanha no Paulistão e conseguiu uma reação para que fugisse da zona do descenso, mas se tornou primordial para a sequência na temporada, o qual resultaria em título. Desta vez, a equipe conquistou a Copa Paulista, cravando mais um troféu dourado em sua galeria e também a vaga inédita para a disputa do Brasileiro da Série D, voltando a disputar uma divisão nacional, coisa que não acontecia desde 2002. A cena que se repete nos momentos atuais.

Em 2018, a equipe conseguiu fazer uma campanha segura no Paulistão, mas sem se classificar para a segunda fase do Brasileiro da Série D. A sorte misturada com competência aconteceria na Copa Paulista. Em mais um vice-campeonato, a equipe conseguiu vaga para o torneio nacional.

Dentro deste período, o clube anunciou o pentacampeão Roque Júnior como diretor de futebol, ficando por uma temporada.

Já em 2019, talvez tenha sido o ano inesquecível para os afeanos pós-retorno em 2016. A forma e estilo de jogo que encantou a todos levou a Ferroviária a uma brilhante campanha no Paulistão, conseguindo a classificação às quartas de final, perdendo nos pênaltis para o Corinthians, após dois empates por 1 a 1. A campanha feita a garantiu no Brasileiro da Série D de 2020. Na disputa da Copa Paulista, a equipe não conseguiu repetir os feitos das últimas temporadas e ficou na terceira fase.

No feminino, as Guerreiras Grenás conquistariam o bicampeonato do Brasileirão Feminino, a primeira a conseguir o feito na competição, derrotando o Corinthians na final, nos pênaltis. A equipe havia conseguido vaga para a Libertadores Feminina do mesmo ano após o Flamengo desistir da disputa, e ficou com o vice-campeonato. Ela também se garantiu na Libertadores de 2020.

Já nas categorias de base, a equipe Sub-15 masculina chegaria em seu primeiro mata-mata de Campeonato Paulista. Nas quartas de final, em um dos grandes jogos que a Fonte Luminosa já recebeu, a equipe empatou com o Santos em 3 a 3, mas como havia sido derrotada por 2 a 1 no primeiro duelo, foi eliminada.

Quase no término da temporada, o clube passaria por uma outra reestruturação, a mais importante da história da Sociedade Anônima, a chegada da MS Sports, que se tornaria a principal acionista do clube-empresa, ficando no lugar da Know-How.

Altos investimentos foram feitos, fortalecendo ainda mais o futebol profissional e de base, mas os problemas extracampo com o principal investidor afetaram para a continuidade sólida do projeto, vivendo momentos conturbados, mas que nada pudesse fazer com que o clube desistisse de suas ambições, graças a Salmazo e toda a diretoria.

De quebra, o clube ainda teve que “se virar nos 30” com a chegada da pandemia, evitando cortes de funcionários e mantendo jogadores e jogadoras para a retomada do futebol.

Com a bola rolando, a Ferroviária se manteve na elite do Paulistão, mas deixou a desejar na disputa da Série D, ficando na segunda fase da competição. Na Copa Paulista, com um time alternativo, caiu na fase quartas de final, perdendo para o Marília.

O futebol feminino chegou na final do Campeonato Paulista, mas acabou perdendo a decisão para o Corinthians, ficando com o vice-campeonato.

No Sub-20 masculino, chegou a fase quartas de final pela primeira vez no Campeonato Paulista, sendo superada pelo Santos. Já no Sub-17 feminino, foi vice-campeã da competição, perdendo para a equipe santista na final disputada na Fonte Luminosa, mas ficando com outro troféu.

Em 2021, as Guerreiras Grenás conquistariam o bicampeonato da Libertadores. Por conta da pandemia, a competição de 2020 foi realizada no ano seguinte e de quase eliminada na primeira fase, a equipe conseguiu a classificação heroica ao mata-mata e derrotou o América de Cali-COL na grande final.

Com o masculino, a Locomotiva conseguiu mais um feito ao se classificar novamente às quartas de final do Paulistão, esta sendo a melhor campanha feita desde o retorno em 2016, superando a de 2019. No mata, acabou sendo superada pelo São Paulo.

Na Série D, a Locomotiva esteve muito perto de conquistar o acesso para a Série C, mas por detalhes, foi derrotada nos pênaltis diante do Atlético-CE, em plena Fonte, tendo o sonho adiado.

A base masculina teve o seu melhor desempenho da história nas disputas do Campeonato Paulista. Nas categorias Sub-17 e 20, chegaram nas semifinais, enquanto o Sub-15 conseguiu o feito em chegar a final, sendo derrotado para o Palmeiras na decisão, em partida disputada na Fonte Luminosa, mas conseguindo um troféu inédito para sua galeria.

Na base feminina, a equipe conquistou a Liga de Desenvolvimento Sub-16, promovida pela CBF e CONMEBOL, garantindo a participação na CONMEBOL Fiesta Evolución, primeiro torneio internacional das Guerreirinhas Grenás.

Em 2022, o ano foi repleto de conquistas no futebol feminino nas categorias de base. Em seis finais, as equipes conquistaram cinco títulos, a era mais vencedora dentro da modalidade no clube. Além disso, a categoria Sub-16 conquistou a CONMEBOL Fiesta Evolución, no Paraguai, sendo este o primeiro título continental da categoria de base do clube, e também a CONMEBOL Magic Cup, disputada em Orlando, na Flórida.

Apesar das conquistas, a Ferroviária sofreu um duro golpe dentro de seus 72 anos de história ao perder a atleta Esther Martins dos Santos, de apenas 14 anos, por conta de um mal súbito durante um treinamento com a equipe Sub-17. Acompanhado do presidente Salmazo, o clube amparou os familiares e deu todo o suporte necessário para que Esther tivesse uma despedida digna.

Salmazo com as capitãs das categorias de base do futebol feminino – da esq. para dir.: Naty Vendito, Grazy, Gabi Pusch, Helena, Duda Batista e Aninha – Crédito: Tiago Pavini/Ferroviária SAF

O último jogo sobre a sua presidência foi na partida do Paulistão 2023, na qual a Ferroviária derrotou o Água Santa, fora de casa, por 3 a 1, na rodada de estreia. No dia 19, na parte da tarde, antes do jogo contra o São Paulo, pela segunda rodada, foi realizada a reunião que definiu o novo conselho e Salmazo faz agora pare do Conselho Fiscal do clube.

Além do campo, durante o período em que Salmazo presidiu, o clube também fez trabalhos solidários, ajudando instituições, como a Associação Chá de Vida, Oficina das Meninas, Fundo Social da Solidariedade de Araraquara, entre outros.

Em pesquisa, o Portal RCIA Araraquara levantou os jogos das equipes profissionais, masculina e feminina, sob a gestão do presidente Carlos Salmazo. Para a sua alegria, foram mais vitórias do que derrotas ao longo destes oito anos e um grande saldo positivo.

Toda a dedicação e entrega para fazer o clube ser, de novo, uma potência no interior do estado de São Paulo nos deixa orgulhosos. O trabalho continua.

PRIMEIRO JOGO

2 de agosto de 2014 – Ferroviária 1×0 Votuporanguense – 4ª rodada da Copa Paulista

ÚLTIMO JOGO

15 de janeiro de 2023 – Água Santa 1×3 Ferroviária – 1ª rodada do Paulistão

TOTAL DE JOGOS DENTRO DESTE PERÍODO (agosto de 2014 – janeiro de 2023)

Profissional masculino

311 JOGOS
136 vitórias
98 empates
77 derrotas

433 gols marcados, 275 sofridos = +158 de saldo

Profissional feminino

309 JOGOS
151 vitórias
70 empates
88 derrotas

636 gols marcados, 345 sofridos = +291 de saldo

TOTAL DE JOGOS (MASCULINO + FEMININO)

620 JOGOS
287 vitórias
168 empates
165 derrotas

1.069 gols marcados, 620 sofridos = +449 de saldo

CONQUISTAS DENTRO DESTE PERÍODO (agosto de 2014 – janeiro de 2023)

Masculino – profissional

Campeonato Paulista Série A2 de 2015 (campeão)
Copa Paulista 2017 (campeão)
Copa Paulista 2016 e 2018 (vice-campeão)

Masculino – categorias de base

Campeonato Paulista Sub-15 (vice-campeão)
FAM Cup Sub-17 (campeão Série Prata)

Feminino – profissional

Copa Libertadores da América de 2015 e 2020 (campeão)
Campeonato Brasileiro de 2014 e 2019 (campeão)
Campeonato Paulista de 2020 (vice-campeão)
Copa Libertadores da América de 2019 (vice-campeão)

Feminino – categorias de base

CONMEBOL Fiesta Evolución 2022 (campeão)
CONMEBOL Magic Cup 2022 (campeão)
Campeonato Paulista Sub-15 e 20 de 2022 (campeão)
Liga de Desenvolvimento Sub-16 de 2021 (campeão)
Festival de Futebol Feminino Sub-14 de 2019 e 2022 (campeão)
Campeonato Paulista Sub-17 2020 e 2022 (vice-campeão)

Com dados do ogol e futebolpaulista