Ato na Paulista tem confronto entre torcedores, bolsonaristas e PM

A Policia Militar se colocou entre os grupos para tentar evitar o confronto; três pessoas já foram presas

98

A Policia Militar se colocou entre os grupos para tentar evitar o confronto; três pessoas já foram presas

A Polícia Militar dispersou com bombas de gás o princípio de uma briga entre manifestantes na avenida Paulista na tarde de hoje. A via está dividida entre um ato de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e outro organizado por torcidas organizadas de futebol, entre elas a do Corinthians e do Palmeiras.

Por volta das 13h30, a polícia separou o início de uma confusão entre dois manifestantes ao lado da estação Trianon Masp, do lado da avenida onde estão os manifestantes bolsonaristas. A PM soltou várias bombas de efeito moral e spray de pimenta pata separar a confusão. Um fotógrafo da agência EFE ficou ferido.

A Polícia Militar separou os dois grupos com cordões de isolamento, com a distância de um quarteirão para cada uma das manifestações. Os bolsonaristas, vestidos de verde e amarelo, até o início da tarde em número menor, estão próximos à sede da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e os grupos chamados “pró-democracia”, vestidos de preto, estão em frente ao Masp (Museu de Arte de São Paulo).

Por volta das 14h, a tensão cresceu e, enquanto rojões e garrafas começaram a ser atirados na direção dos policiais, eles revidavam com bombas de gás e efeito moral, além de tiros de bala de borracha.

A Tropa de Choque lança bombas em direção aos manifestantes das torcidas organizadas e a polícia segue derrubando as barricadas colocadas pelos manifestantes. A situação continua tensa na Paulista.