Início Geral

Senai fará reparos em respiradores das unidades de saúde de Araraquara

Além da manutenção dos respiradores no país, o Senai também quer fortalecer a cadeia de fornecedores e oferecer os componentes necessários para ampliar a produção dos ventiladores pulmonares

131

Toda força nesse momento de pandemia é necessária para brecar o avanço do Covid 19. Por isso, o Senai Araraquara (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) , por meio do diretor Paulo Sassi, entra na luta contra o vírus, somando para que Araraquara atravesse esse momento da melhor forma possível.

Pensando nisso, o diretor colocou a unidade do Senai Araraquara à disposição para auxiliar a cidade no reparo de seus equipamentos “respiradores”. Assim, o Senai Araraquara comprometeu-se a retirar todos os respiradores que estiverem com defeito, fazer o conserto dos mesmos e devolvê-los. De acordo com Sassi não será a escola de Araraquara que fará a manutenção dos equipamentos, e sim a escola especializada em manutenção de equipamentos médicos, sediada na Vila Leopoldina, em São Paulo.

“Nossa escola de Araraquara ficou responsável por identificar as necessidades da região central do Estado. Faremos a triagem e enviaremos para a equipe de técnicos e alunos que está de plantão para esta ação determinada pelo comitê de crise Corona do sistema Fiesp, encabeçado pelo Presidente Paulo Skaf”, explicou Sassi, lembrando que já houve a manifestação de cinco cidades da região com esta necessidade.

“Nesta terça (31), será recolhido o primeiro lote para envio da manutenção”, apontou. De acordo com o diretor do Senai Araraquara, por meio do apoio dos parceiros, as manutenção serão totalmente gratuitas possibilitando o uso dos recursos que seriam desprendidos para manutenção em outras necessidades emergenciais. “Estamos muito felizes de poder participar desta ação e contribuir neste momento tão crítico que estamos passando”, finalizou.

Os respiradores mecânicos são essenciais no tratamento de doentes que apresentam sintomas graves da covid-19, pois a Síndrome Respiratória Aguda Grave é um dos efeitos mais sérios da doença. A estimativa do Senai é que mais de 3,6 mil ventiladores pulmonares estão fora de operação no Brasil, sendo que cada equipamento recuperado poderá atender até dez pessoas.

Em todo o país, o Senai formou parceria com dez empresas (ArcerlorMittal, Fiat, Ford, General Motors, Honda, Jaguar Land Rover, Renault, Scania, Toyota e Vale) para fazer a manutenção dos respiradores usados no atendimento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Vale lembrar que os principais fabricantes de respiradores do Brasil não têm estoque do equipamento para entrega imediata e devem levar ao menos 15 dias para fornecer uma nova leva de aparelhos para os hospitais. Os aparelhos são essenciais para a manutenção da vida de pacientes com quadros graves de infecção pela Covid 19.

De acordo com informações da Agência Brasil, a partir de hoje (30), os equipamentos podem ser entregues pelos gestores de saúde em 25 locais espalhados por 13 estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Além da manutenção dos respiradores no país, o Senai também quer fortalecer a cadeia de fornecedores e oferecer os componentes necessários para ampliar a produção dos ventiladores pulmonares. Ainda, outras linhas de ação são: a importação de equipamentos e a adaptação de respiradores da área veterinária para uso humano.