Início Destaques

Elton Negrini deixou o PSDB e agora vai para que partido?

O delegado Elton Negrini estuda convites de outras agremiações, mas ainda não há definição sobre sua nova sigla o que deverá ocorrer até o dia 15

173
Elton Negrini , respeitado pela sua posição firme dentro do cenário político

Eleito vereador pela primeira vez em 2016, Elton Negrini decidiu oficialmente deixar o PSDB, na semana passada. Comentou na oportunidade que embora tendo grandes amigos no ninho tucano, não vinha se sentindo bem dentro do quadro.

O desconforto político levou o delegado a procurar uma nova sigla, contudo alega que ainda não se definiu e que isso poderá ocorrer nas próximas horas. Ele praticamente está trabalhando com a legislação eleitoral debaixo do braço pois tem um prazo mais alongado, que seria 15 de abril.

Para o PSDB foi uma perda irreparável por se tratar de um político diferenciado de grande parte que atualmente ocupa a Câmara Municipal. A ética e a transparência são características que têm norteado seus passos na política local.

Eleito vereador em 2016 com 1.543 votos para a legislatura de 2017-2020, ele teria se aproximado do Podemos e chegou a ser comentado que seria o vice do médico Luís Cláudio Lapena Barreto, pré-candidato a prefeito pelo partido. Mas, isso não se confirmou.

Há também a possibilidade da sua filiação ocorrer com o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) e convite neste sentido já teria sido feito pelo presidente da agremiação, Théo Bratfisch, onde teria espaço inclusive para lançar seu nome como pré-candidato a prefeito.

QUEM É ELTON NEGRINI

Elton nasceu em Araraquara no ano de 1967. Filho de Lourivaldo Geraldo Negrini e Marlene Ottina Negrini, sendo formado em Direito e com especialização em Competências Gerenciais Públicas pela USP. É delegado da Seccional de Polícia de Araraquara.

O parlamentar é casado com Eliane Teresinha Queiros Negrini e possui três filhos Giulia Marina, Giovana Luisa e Pedro Hugo.

Sua principal proposta tem sido fiscalizar o dinheiro público e promover políticas públicas para tirar crianças e adolescentes da rua, como medida de prevenção da marginalização.