Início Destaques

Em 2019 gestão Edinho tinha 45% de aprovação; caiu para 28% em 2020

Em duas enquetes realizadas, uma em março do ano passado e outra em agosto de 2020 é possível avaliar a queda da gestão Edinho Silva levando preocupação à militância petista. Ainda assim, com percentual de 28% de aprovação o atual prefeito teria a preferência da população em novembro no comparativo com outros três ou quatro políticos em uma campanha eleitoral.

284
Gestão do prefeito Edinho analisada através nova enquete

Embora seja apenas enquete, sem aprofundamento técnico-científico, a gestão Edinho Silva entre o penúltimo e o último ano do seu mandato sofreu uma queda considerada significativa. Se em 2017, Edinho tinha 32% de Ótimo, agora são apenas 18%, Se antes eram 10% de Bom, este índice veio para 7%. O que não foi alterado é o índice de que sua administração tem sido apenas 6%.

Em linhas gerais o que preocupa, segundo os analistas é a imagem negativa que se criou em torno do seu nome nestes três anos e meio de administração. Reflexos do afastamento de Dilma Roussef da presidência da República, a perda do cargo de Ministro das Comunicações e o constante aparecimento do seu nome em notícias sobre a Lava Jato provocaram desgaste em sua carreira de habilidoso político.

No momento em que o país se dividiu entre Direita e Esquerda para eleição de um militar, Jair Bolsonaro, é que o Partido dos Trabalhadores sofreu seu maior baque pois também deste cenário fazia parte a prisão e condenação de Luis Inácio Lula da Silva. Este também é um detalhe que aparece no desgaste do PT e do próprio Edinho, em Araraquara.

Só que a vitória de Bolsonaro para presidente da República e a eleição de João Doria (PSDB) para o governo de São Paulo, minguaram a aprovação de projetos e recursos destinados ao nosso município. Paralelamente, a nossa economia também se enfraqueceu. Poucas empresas aportaram a cidade e como conseqüência foi abalada a geração de empregos, ainda que seja o mal de todos os estados brasileiros.

Em Araraquara é perfeitamente visível o crescimento da Direita ou Centro-Direita, mas a divisão de propostas inviabiliza neste momento mudanças no seu regime político-administrativo. Isso quer dizer que – embora a Gestão Edinho tenha despencado de 45% para 28% em 12 meses, é fato que sua supremacia é incontestável se hoje ocorresse uma pesquisa com fundamento técnico-científico com o apontamento de três ou quatro nomes. Fora isso ainda tem pesado na conta do atual prefeito – a agressão sofrida pela mulher da praça neste período de pandemia.

O lado negativo da gestão também é visível nos quesitos de 2020: Péssimo, 54%; Ruim, 15% e Regular, 6%. São números piores que 2019: Péssimo, 45%; Ruim, 7% e Regular 6%. Como a Regularidade é divisível – somam-se 3% + 45% + 7%, totalizando 55% de uma gestão negativa. A situação positiva de 2019 que somava 45%, entre 32% de Ótimo, 20% de Bom e 3% de Regular vai na contramão do que ocorre um ano depois com apenas 18% de Ótimo, 7% de Bom e 3% de Regular, somando 28%, uma queda de 17%.