Início Política

Gerson da Farmácia, o “doutor do Carmo”

Vereador e técnico em farmácia, ele ganhou o respeito de clientes e eleitorado, pelo modo carinhoso que trata a todos.

613
Gerson da Farmácia, vereador em um primeiro

O vereador Gerson Rosa de Freitas (MDB), de 55 anos, conhecido como Gerson da Farmácia, trabalha há 23 anos como farmacêutico na Avenida Sete de Setembro. Casado com Maria Sirlei Guedes de Freitas, têm a filha Mariana de 33 anos.

Embora Gerson resida na Vila Xavier, ele também mora no coração de quem vive no Carmo e bairros adjacentes. Todos os dias as pessoas esperam para se “consultar” com seu farmacêutico predileto e aproveitam também para deixar suas reivindicações políticas para que o vereador possa cobrar o Executivo. Não é difícil encontrar moradores da região que dizem estar com uma dorzinha aqui outra acolá, mas estão tranquilas porque o Gerson da Farmácia resolve. Ser contrário a ele tanto no Jardim Tamoio como no bairro Quitandinha é pedir para não ser bem-vindo.

Atendimento feito pelo vereador na Farmácia Drogaven do Carmo

Técnico em Farmácia e Pedagogo, chegou à Câmara Municipal como suplente de Aluísio Brás, o Boi, quando assumiu a Secretaria de Governo, na gestão de Marcelo Barbieri em 2014, atuando por 1 ano e 6 meses.

Em 2016 foi o vereador mais votado com 1934 votos; para ele além da gratidão por ter sido o mais votado entre os vereadores, diz que tem uma responsabilidade ainda maior, em responder a confiança depositada nele pelos seus eleitores. “Eu estou como vereador, sou um funcionário do povo, tenho consciência que estou aqui para melhorar a cidade e cobrar o Executivo, principalmente nas áreas que mais atuo que é saúde e educação. Estou sempre atrás de emendas parlamentares, já consegui para a Santa Casa, Oficina das Meninas e não estou fazendo mais que minha obrigação, afinal a população confiou a mim este trabalho” afirma o edil

Ainda falando sobre Saúde, Gerson acredita ser importante a união do legislativo, executivo e sociedade para que se monte um projeto no que se refere a drogas, “temos que mostrar um novo horizonte a esses jovens, nesta idade eles acreditam que podem tudo e não é assim, a vida requer limites, precisamos de um projeto pedagógico social com responsabilidade”, afirmou o vereador.

Gerson diz que gostaria de fazer muito mais, porém, “o vereador não executa, não tem esse poder, estamos aqui para cobrar, fiscalizar e contribuir com a sociedade. Diz que é candidato à reeleição nas próximas eleições, mas entende que – vereador não pode ser uma profissão. “Temos que entender que tudo é passageiro, hoje eu estou vereador, amanhã posso não estar, sou sempre o mesmo tanto na Câmara como na farmácia”.

O edil pode ser encontrado diariamente na Câmara, até mesmo nos horários de intervalo de seu trabalho na farmácia.