Início Destaques

Na Corregedoria da PM, Edinho tenta censurar Coronel Prado

Edinho Silva apela para o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar para tentar calar Coronel Prado, adversário nas próximas eleições municipais

4103
O pré-candidato a vice-prefeito Coronel Wagner Prado (Podemos) e o Prefeito de Araraquara Edinho Silva (PT)

Na manhã desta sexta-feira (10), o Podemos, partido a qual o Coronel Wagner Prado está filiado para concorrer a vice-prefeitura nas próximas eleições, emitiu nota, contestando a queixa do Prefeito de Araraquara Edinho Silva, junto a Corregedoria da Polícia Militar, por uma opinião emitida pelo adversário político.

NOTA NA INTEGRA

O prefeito Edinho Silva foi à Corregedoria da Polícia Militar (órgão que investiga a conduta dos policiais militares) reclamar contra o Coronel Wagner Prado (Podemos) por um simples comentário em publicação na rede social Facebook.

Segundo Prado, trata-se de clara tentativa de intimidar e calar um adversário político de peso, Coronel Prado é pré-candidato a vice-prefeito nas eleições de novembro deste ano em chapa com o Dr. Lapena (Patriota).

A publicação apareceu na rede social de “A voz do polvo”, no Facebook, no dia 1º de maio, em crítica à administração do prefeito no combate à pandemia pelo Coronavírus. “A voz do polvo” classificou de “calamidade” o fato de Araraquara “estar em rede nacional como exemplo de falcatrua”. O Coronel Prado assim comentou o post: “Infelizmente, Araraquara sempre sendo falada negativamente. Oportunidade de mudarmos tal cenário será dia 04/10/20, elegendo um novo prefeito e boa parte de vereadores”.

Ainda de acordo com o pré candidato, em vez de argumentar contra a publicação de “A voz do polvo”, o prefeito optou pela tentativa de intimidação ao protocolar reclamação junto ao órgão corregedor da Polícia Militar. No documento, Edinho Silva acusa o Coronel Prado de violar o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar, manifestando-se politicamente.

Só que a emenda saiu pior do que o soneto, pois até mesmo o prefeito reconhece que é livre a manifestação do pensamento conforme disposto na Constituição Federal do Brasil, assegurada a livre difusão de pensamento, idéias e atividades.

Como desconhece o Regulamento Disciplinar que rege a vida dos policiais militares, o prefeito protocolou uma reclamação já de antemão derrotada. O Regulamento proíbe manifestações políticas de “policiais militares” enquanto “policiais militares”, não como cidadãos comuns. Ora, o comentário feito pelo Coronel Prado foi em sua página pessoal do Facebook, onde ele aparece em trajes civis comentando os assuntos que lhe interessam, falando de viagens, amigos, parentes, acontecimentos. Os comentários profissionais do Coronel Prado são feitos em outra página, nesta sim, como Oficial da Polícia Militar, fardado, falando de assuntos correlatos à Segurança Pública.

E o que quer o prefeito Edinho Silva em sua reclamação? Junto à Corregedoria da Polícia Militar, parece não querer nada, pois seu pedido se resume a “frente ao possível cometimento de transgressão disciplinar (por parte do Coronel Prado) e requer sejam tomadas as medidas cabíveis. Já no plano político de Araraquara, tenta intimidar, calar e censurar um adversário que certamente, juntamente com o Dr. Lapena, podem impedir sua possível reeleição.

NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

Segundo nota enviada pelo Presidente do Partido dos Trabalhadores de Araraquara Everson Inforsato, “trata-se de representação feita pela assessoria jurídica do Partido dos Trabalhadores em razão de acusações do Coronel Wagner Prado contra a pessoa do prefeito Edinho, feitas em redes sociais, as quais atingiam sua honra”.

Ressalta ainda que a assessoria jurídica do partido pediu providências junto à Policia Militar do Estado de São Paulo, já que ofensa foi proferida por um oficial da corporação.